Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mais de cem manifestantes são presos em Hong Kong

Outras 20 pessoas ficaram feridas em confrontos com a polícia

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h45 - Publicado em 26 nov 2014, 06h30

Mais de 100 pessoas foram presas e ao menos 20 ficaram feridas na madrugada desta quarta-feira em Hong Kong durante confrontos entre policiais e manifestantes pró-democracia.

A polícia utilizou gás e cassetetes para dispersar os manifestantes que ocupavam ruas do bairro de Mong Kok.

Leia também:

Manifestantes de Hong Kong são impedidos de ir a Pequim

Estudantes pedem negociações diretas com premiê chinês

ONU cobra da China eleições abertas em Hong Kong

Os confrontos se prolongaram durante 12 horas. A polícia afirma que pretende indiciar parte dos manifestantes por formação de quadrilha, agressão, posse de armas e desacato,

Entre os presos estão os líderes estudantis Joshua Wong e Lester Shum, segundo confirmaram representantes da Federação dos Estudantes de Hong Kong, uma das organizações que organizam os protestos através das redes sociais.

Continua após a publicidade

Joshua Wong, que figurou na capa da revista americana Time no início das manifestações, é o líder do movimento estudantil Scholarism, que reúne alunos do ensino médio. Lester Shum, por sua vez, é um dos secretários da Federação dos Estudantes de Hong Kong, organização que liderou as conversas com o governo durante os protestos.

Além das detenções, nove policiais tiveram que ser atendidos por ferimentos, enquanto o número de manifestantes que precisam de atendimento médico ainda é incerto.

Os enfrentamentos começaram depois que agentes e oficiais de justiça iniciaram uma operação para retirar as barricadas montadas pelos manifestantes em um trecho de uma rua do bairro de Mong Kok, obedecendo a uma ordem judicial. Uma vez que a rua foi esvaziada, os manifestantes se concentraram nas imediações, desobedecendo às ordens da polícia para que deixassem a área.

A tensão continuou enquanto centenas de policiais tentavam isolar a entrada de algumas ruas para evitar que os manifestantes expandissem suas barricadas. Munidos de guarda-chuvas, capacetes e escudos, os manifestantes tentaram erguer barricadas em novas ruas e interromperam o trânsito temporariamente em duas vias.

O tenso embate entre policiais e manifestantes em Hong Kong deve prosseguir nesta quarta-feira, já que o governo local anunciou que vai tentar dispersar outras aglomerações.

Uma das operações é considerada de alto risco e prevê o desmantelamento de um acampamento na Rua Nathan, onde centenas de barracas se estendem por mais de 500 metros.

Os protestos contra o governo local já duram dois meses. Os ativistas ocuparam as ruas no final de setembro para tentar reverter uma decisão do Congresso Nacional do Povo que restringe a candidatos apoiados por Pequim o cargo de chefe executivo de Hong Kong.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade