Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mais de 40 manifestantes são presos na Rússia

Um grupo conhecido como ‘Estratégia 31’ se reúne no final de todos os meses para protestar contra a gestão de Vladimir Putin

Por Da Redação - 31 ago 2012, 20h00

Mais de 40 opositores ao Kremlin, sede do governo russo, foram detidos nesta sexta-feira nas duas principais cidades do país, Moscou e São Petersburgo, por causa de comícios não autorizados realizados em defesa do artigo 31 da Constituição russa, que garante a liberdade de reunião.

O episódio se repete nos dias 31, quando integrantes do grupo conhecido como ‘Estratégia 31’ se reúne para protestar contra a gestão de Vladimir Putin e pedir a garantia de seus direitos constitucionais. Entre os presos estava o líder do movimento, o escritor e opositor russo Eduard Limónov.

A defensora dos direitos humanos Liudmila Alexeyeva, que esteve presente na praça, criticou a atuação da polícia, destacando que ‘se estivessem gritando palavras a favor do governo, ninguém os deteria’. ‘Não importa o quanto comportamento dos militantes da ‘Estratégia 31’ seja pacífico, eles são detidos da mesma maneira pois são ordens que a polícia tem que cumprir ‘, concluiu.

Leia também: Putin sanciona lei que pune manifestantes contra o governo

Continua após a publicidade

Histórico – O governo de Vladimir Putin sentenciou recentemente três integrantes do grupo punk ‘Pussy Riot’ por causa de um protesto musical contra o presidente russo em uma catedral de Moscou. Apesar de terem sido punidas por ‘vandalismo’ e ‘incitação ao ódio religioso’, opositores asseguram que a pena é resultado das críticas feitas ao governo.

Uma onda de descontentamento teve início na Rússia após Putin ter voltado ao Kremlin em meio a um processo eleitoral controverso no começo do ano, que a oposição chamou de ‘fraudulento’ e ‘ilegítimo’. Milhares de russos foram às ruas para contestar os resultados das eleições.

Saba mais sobre os protestos contra Putin:

(Com Agência EFE)

Publicidade