Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Macron a Johnson: questão das Irlandas é indispensável em acordo do Brexit

Premiê britânico recebeu apoio do presidente francês para buscar um novo pacto em trinta dias

Em viagem pela Europa para tentar abrir uma janela de renegociação de um acordo para o Brexit, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, encontrou-se nesta quinta-feira, 22, com o presidente francês, Emmanuel Macron. Ao contrário do que Boris desejava, Macron disse que o dispositivo que impede uma fronteira rígida entre a Irlanda e Irlanda do Norte, presente no pacto anterior, é “indispensável” para manter a paz na região.

O polêmico dispositivo, conhecido como backstop, manteria temporariamente a Irlanda do Norte dentro da união aduaneira e do mercado comum europeu até que um acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia fosse firmado. Dessa forma, evitaria uma fronteira em que a livre circulação de bens e pessoas fosse dificultada.

Este dispositivo não é bem visto pela maioria dos parlamentares britânicos, inclusive o primeiro-ministro, porque imporia a Londres a obrigatoriedade de cumprir regulações europeias por um tempo indeterminado. Porém, uma fronteira rígida entre as duas Irlandas contraria o acordo de paz firmado em 1998, que cessou a violência entre os irlandeses, e traz de volta o temor de novos conflitos.

No encontro entre Macron e Boris, o presidente francês referendou o prazo de trinta dias para a elaboração de uma nova proposta que a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, deu ao primeiro-ministro britânico na quarta-feira 21. Mas Macron alertou que qualquer novo texto não seria muito diferente do atual.

“Quero ser muito claro: no mês à frente, não encontraremos um novo acordo de retirada que se desvie muito do original”, disse o líder da França no pátio do Palácio do Eliseu ao lado de Johnson.

Apesar de Johnson buscar a renegociação do acordo com a União Europeia em trinta dias, ele é defensor do divórcio sem acordo no dia 31 de outubro. Mas disse a Macron estar “fortemente estimulado” em firmar um pacto até o prazo final, após a conversa com Merkel na quarta-feira.

“Vamos fazer o Brexit. Vamos fazê-lo de forma sensata e pragmática e que seja interessante para os dois lados, não vamos esperar até 31 de outubro”, disse Johnson. “Vamos adiante no aprofundamento e na intensificação da amizade e da parceria entre nós.”

(Com Reuters)