Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Lula liga para Evo Morales por ‘solidariedade e preocupação humanista’

Lula ponderou que o ex-presidente boliviano errou ao buscar quarto mandato, mas elogia seu governo e considera que houve um golpe no país vizinhol

Por EFE - 28 nov 2019, 01h42

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por telefone nesta quarta-feira com Evo Morales, que renunciou à presidência da Bolívia ao ser pressionado pelos militares e está asilado no México.

Lula expressou “solidariedade” e “preocupação humanista” tanto por Morales como pelo povo boliviano, segundo informou o instituto do petista.

No segundo ato público após a soltura, Lula disse que Morales “ganhou as eleições, fez o melhor governo desde que a Bolívia foi fundada, criou políticas sociais e foi eleito outra vez, mas a direita não aceita o resultado”.

Em entrevista recente ao jornal britânico The Guardian, o ex-presidente brasileiro afirmou que Morales “cometeu um erro quando buscou um quarto mandato como presidente”, mas denunciou que “foi um crime, um golpe de Estado” que o tirou do poder.

Publicidade

Morales deixou a Bolívia no dia 11 de novembro, depois da pressão das Forças Armadas e de uma auditoria da Organização dos Estados Americanos que apontou “graves irregularidades” nas eleições de 20 de outubro.

A renúncia de Morales foi considerada um golpe de Estado por vários governos latino-americanos, embora outros países tenham reconhecido o governo interino de Jeanine Áñez e parte da comunidade internacional seja a favor de um diálogo entre as partes.

 

Publicidade