Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Local de massacre parecia ‘cena de filme’, diz testemunha

Philippe D., de 41 anos, declarou que 'estava um completo silêncio no local, como o trecho de um filme ou de um seriado que começa com um crime'

Um francês identificado apenas como Philippe D., de 41 anos, que foi um dos primeiros a ver os corpos de três pessoas mortas dentro de um carro e de um ciclista nas proximidades do lago Annecy, na França, disse, em depoimento, que o local do crime parecia uma “cena de filme”.

“Estava um completo silêncio no local, como a cena de um filme ou de um seriado que começa com um crime. Só que nós éramos os atores e não tínhamos controle remoto para mudar o canal”, explicou a testemunha ao jornal Le Parisien. “Eu me aproximei do carro. Não toquei em nada, mas percebi que não havia nada que eu pudesse ter feito. Não tinha sinal de vida”, concluiu.

“Alguns minutos mais cedo e poderíamos ser nós em vez do ciclista morto”, disse, referindo-se a Sylvain Mollier, morador de uma cidade vizinha ao local do crime, que também foi encontrado morto com marcas de tiros. Acredita-se que ele passava pelo local no momento do crime. “Nós não sabíamos se estávamos em perigo ou não, se aqueles que fizeram tudo aquilo ainda estavam lá ou não”, disse.

Saiba mais:

Polícia investiga se briga por dinheiro motivou matança nos Alpes

Saad Al Hilli

uma senhora de nacionalidade sueca

Zainab

coma

escapou ilesa do crimes após se esconder por mais de oito horas debaixo dos corpos dos parentes mortos

Leia também:

Disparos foram efetuados por apenas uma arma

Jornalistas e policiais na área onde ocorreu o massacre, nas imediações do Lago Annecy, nos Alpes franceses Jornalistas e policiais na área onde ocorreu o massacre, nas imediações do Lago Annecy, nos Alpes franceses

Jornalistas e policiais na área onde ocorreu o massacre, nas imediações do Lago Annecy, nos Alpes franceses (/)

Primeira testemunha – Philippe explicou que a primeira pessoa que encontrou os corpos foi um britânico, que não deu seu testemunho à imprensa, mas as autoridades policiais disseram que ele estava traumatizado. O francês disse que “ele estava em pânico” quando se encontraram. “Ele me explicou com um francês muito ruim que havia ocorrido um acidente mais acima”, afirmou.

Demais depoimentos – As investigações promovidas pela polícia francesa apontaram que a família, que estava acampando na região, teria decidido mudar de camping dias antes do crime. Um casal holandês que estava no acampamento e que foi questionado pelas autoridades declarou que Al Hilli estava agindo de forma estranha durante a estadia no local e que costumava sair, deixando a família só, por diversas vezes ao longo do período que passou no local. Outras fontes estranharam a presença de um homem com aparência típica do leste-europeu na região. Uma funcionária do estabelecimento, no entanto, negou as afirmações, que classificou como “ridículas”.

Córsega – Três pessoas foram encontradas mortas a balas em um veículo na ilha francesa de Córsega nesta terça-feira, informou uma fonte da investigação. O promotor local, Dominique Alzeari, não quis antecipar comentários a respeito das mortes. Cerca de dez homens foram assassinados no decorrer do ano na ilha. Os casos são apresentados pela polícia como ajustes de contas.