Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Kiev denuncia ‘número recorde’ de ataques rebeldes no leste da Ucrânia

Os conflitos na região deixaram quase 7.000 mortos desde abril de 2014

A Ucrânia acusou nesta quinta-feira os separatistas pró-Rússia de prepararem uma ofensiva e matarem dois soldados após um número recorde de ataques contra as posições do exército ucraniano desde o início da trégua, em fevereiro.

“Houve 153 ataques contra nossas posições, como no momento mais intenso dos combates”, afirmou em um comunicado o chefe do Conselho de Segurança Nacional e de Defesa, Olexandre Turchinov, que também anunciou que dois soldados morreram e dez teriam ficado feridos nas últimas 24 horas. “A reorganização de tropas e de equipes perto de nossa linha de defesa prova que o inimigo prepara um ataque”, declarou Turchinov, que se encontra na zona em conflito.

Leia também:

Aviões de combate da Otan interceptam aeronaves da Rússia

Rússia veta resolução da ONU para investigar avião derrubado na Ucrânia

O porta-voz militar ucraniano Vladislav Seleznev, interrogado pela agência de notícias AFP, informou sobre os combates na madrugada de quinta-feira, perto do povoado de Semiguiria, a 50 quilômetros de Donetsk.

“Os observadores da OSCE presentes sobre o terreno constataram nos últimos dias que os dois bandos usaram armas pesadas de calibre 122mm e 152 mm”, proibidas por acordos de paz assinados em Minsk em fevereiro, declarou em coletiva de imprensa Alexander Hug, chefe adjunto da missão de observação na Ucrânia da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE).

“Os observadores constatam um aumento da violência com perdas de vidas civis”, acrescentou.

A situação piorou consideravelmente desde o início da semana no setor de Mariupol, a última grande cidade no leste separatista da Ucrânia, que continua sob controle governamental, onde continuam os combates com artilharia pesada pelo quarto dia consecutivo.

O conflito na Ucrânia provocou a morte de mais de 6.800 pessoas desde abril de 2014.

(Com AFP)