Clique e assine a partir de 9,90/mês

Justiça ordena um novo exame psiquiátrico em Breivik

Terrorista de Oslo foi declarado psicótico e penalmente irresponsável

Por Da Redação - 13 jan 2012, 10h29

O tribunal de Oslo ordenou nesta sexta-feira um novo exame psiquiátrico do autor dos atentados de 22 de julho, que deixaram 77 mortos na Noruega, Anders Behring Breivik. Ele foi declarado penalmente irresponsável no ano passado por dois especialistas, cujas conclusões provocaram grande indignação.

Entenda o caso

  1. • No dia 22 de julho, dois ataques coordenados espalham pânico pela capital norueguesa, Oslo, deixando 77 mortos.
  2. • No primeiro, um carro-bomba explodiu no distrito governamental atingindo a sede do governo e matando oito pessoas.
  3. • Pouco tempo depois, um homem invade a ilha de Utoya e atira a esmo contra um acampamento da juventude social-democrata, matando 69 pessoas.
  4. • O norueguês ultradireitista Anders Behring Breivik, de 32 anos, é preso e assume a autoria dos atentados.

Leia mais no Tema ‘Terror em Oslo’

“Devido à gravidade deste caso, a responsabilidade (de Breivik) deve ser examinada novamente”, declarou a juíza Wenche Elizabeth Arntzen durante coletiva de imprensa. Dois novos especialistas, Agnar ASPA e Terje Toerrisen, irão decidir sobre a saúde mental da extrema-direita, 32, responsável pela morte de 77 pessoas.

No final de novembro, os dois primeiros especialistas nomeados pela Câmara Municipal de Oslo Tribunal concluíram que Breivik era psicótico, e que sofria de “esquizofrenia paranoica”, não podendo ser, portanto, criminalmente responsável. Se isso for confirmado, Breivik será passível de internação em um hospital psiquiátrico ao invés de cumprir pena em uma prisão tradicional.

No início deste mês, porém, um time de psiquiatras noruegueses que monitora Breivik na prisão não encontrou envidências de que possua distúrbios psicóticos. Formada por quatro psiquiatras, a equipe que acompanha o extremista norueguês na cadeia submeteu seu relatório ao promotor público Sveid Holden, que cuida do caso. No documento, os especialistas explicam que não acreditam que Breivik seja psicótico ou esquizofrênico, tampouco possa cometer suicídio.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade