Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jornalista é ferido em ataque à sede do jornal ‘Libération’

Um homem com um fuzil invadiu a sede do jornal, no centro de Paris, e disparou duas vezes antes de fugir

Um assistente de fotógrafo ficou gravemente ferido nesta segunda-feira após um homem invadir a sede do jornal de esquerda Libération e disparar seu fuzil duas vezes antes de fugir, informou a imprensa francesa. Segundo informações do próprio Libération, o assistente de fotógrafo, que não teve a identidade revelada, tem 27 anos e trabalhava para a revista mensal Next, editada pelo jornal francês. Atingido no tórax, ele foi foi transferido para um hospital das imediações, no centro de Paris, após primeiros socorros prestados no local. Seu estado de saúde é considerado grave.

Em entrevista à emissora BFM TV, o diretor de redação do jornal, Fabrice Rousselot, assinalou que o agressor não fez nenhuma declaração antes de disparar. O Libération recebeu ameaças no passado, mas, segundo Rousselot, não houve motivos para tomar medidas especiais de segurança. “Atacar o jornalismo é atacar um pilar essencial da democracia”, acrescentou o diretor da publicação, Nicolas Demorand.

Leia também

Hollande é vaiado e polícia detém 73 durante cerimônia do Dia do Armistício na França

Após o ataque ao jornal, o governo francês decidiu reforçar a segurança nos principais meios de comunicação da capital e a polícia iniciou buscas para localizar o agressor. O ministro do Interior, Manuel Valls, indicou à imprensa que a mobilização policial diante desses locais será mantida como medida de precaução até que o autor dos disparos seja detido.

“Não se deve minimizar a realidade de um ato odioso deste tipo”, disse Valls na saída do jornal. A ministra de Cultura, Aurélie Filippetti, e o prefeito de Paris, Bertrand Belanoë, também passaram pela redação do Libération. A ministra Aurpelie ressaltou que é a primeira vez que um meio de comunicação é atacado “de maneira tão monstruosa”, e afirmou que “além do ataque a um pilar da sociedade democrática, esta violência é inaceitável. É necessário que toda a sociedade se mobilize”.

Disparos no centro financeiro – Tiros foram disparados por um homem nesta segunda-feira do lado de fora da sede do banco Société Générale, no distrito parisiense de La Defense, que reúne os principais bancos e empresas da cidade. “Posso confirmar que um homem abriu fogo. Ninguém ficou ferido. A polícia está no local”, disse um porta-voz à imprensa. A polícia não informou se este ataque tem ligação com os tiros no jornal Libération.

(Com agências EFE e France-Presse)