Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Japão registra aumento no nível de estrôncio no solo

Apesar da elevação em até 26 vezes o normal, governo descarta riscos à saúde

Por Da Redação 9 jun 2011, 04h59

O nível de estrôncio radioativo na terra de algumas cidades da província de Fukushima aumentou até 26 vezes desde março, mas sem chegar a representar um risco à saúde, segundo dados do Ministério de Ciência do Japão divulgados pela emissora local NHK.

Ao todo, havia estrôncio 90 em 11 mostras de terra obtidas desde o fim de março até meados de maio em dez cidades da província de Fukushima, onde se encontra a usina nuclear afetada pelo terremoto seguido de tsunami de 11 de março.

As concentrações mais altas foram registradas nas localidades de Namie e Iitate, ambas dentro do perímetro de segurança de mais de 20 quilômetros ao redor da central de Fukushima.

Os níveis recolhidos pelo Ministério nos dois municípios foram de 250 e 120 becquerels por quilo de terra, respectivamente, muito mais altos que os 9,4 e 32 becquerels registrados em 16 de março.

O estrôncio foi detectado também na cidade de Fukushima, capital da província e situada cerca de 60 quilômetros da central, onde chegou arrastado pelos ventos que sopram sentido noroeste.

O governo, que não estabeleceu um limite seguro de exposição ao estrôncio, assegura que as quantidades detectadas não representam um risco imediato para a saúde e que são mínimas a respeito de outras substâncias emitidas pela usina, como o césio.

No entanto, para alguns especialistas o estrôncio, gerado pela fissão dos átomos de urânio, pode sim representar um risco, já que se acumula nos ossos e pode causar câncer ósseo e leucemia.

O governo estuda examinar mostras em um maior número de localizações na próxima análise, atendendo às reivindicações de alguns especialistas, informa a emissora NHK.

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)