Clique e assine a partir de 9,90/mês

Japão espera restabelecer energia em Fukushima no domingo

Cabo foi conectado ao reator de número 2, e a corrente elétrica pode ser restabelecida amanhã

Por Da Redação - 19 mar 2011, 10h20

Oito dias após o terremoto e o tsunami devastadores que já fizeram 7.197 vítimas fatais no Japão, os trabalhadores da central de Fukushima I estão mais perto de solucionar a crise nuclear desencadeada no país. Um cabo elétrico, que deve fazer com que o sistema de resfriamento dos reatores volte a funcionar, foi conectado ao reator de número 2 e deve ser ligado já neste domingo, anunciou neste sábado a agência japonesa de segurança nuclear.

“A eletricidade ainda não foi restabelecida porque são necessárias várias verificações já que diversas regiões estão inundadas com água do mar”, explicou um porta-voz da agência, Dumiaki Hayakawa. “Se não encontrarmos problemas hoje nas instalações, a corrente elétrica poderá ser restabelecida no domingo”, completou Hayakawa. A empresa TEPCO, operadora da central, não confirmou essa informação.

Segundo a rede britânica BBC, outros três reatores, cujos sistemas de resfriamento foram danificados pelo terremoto, também devem receber cabos elétricos até o fim deste sábado. Enquanto a energia não é restaurada, equipes de bombeiros continuam lançando água com canhões sobre o reator 3, para tentar fazer com que sua temperatura caia.

Vítimas – O número de mortos em consequência do terremoto e do posterior tsunami do dia 11 foi atualizado para 7.197 neste sábado, enquanto o de desaparecidos chegou a 10.905, segundo o último boletim da polícia. O saldo de vítimas já é o maior de um desastre natural no país no pós-guerra.

Continua após a publicidade

Os esforços de assistência se concentram agora em atender aos desabrigados, entre eles os 387.000 evacuados que ainda permanecem nos 2.200 centros de amparo disponibilizados pelas autoridades. A província de Iwate deve contratar a construção de 8.800 casas pré-fabricadas para alojar parte dos refugiados. Na cidade de Rikuzentakata, em Iwate, 200 dessas casas já começaram a ser construídas, algo que se repetirá em várias localidades da região.

O estádio Saitama Super Arena, na cidade de Saitama, ao norte de Tóquio, acolherá temporariamente cerca de 5.000 pessoas, entre elas as que tiveram que abandonar suas casas após a crise na usina nuclear de Fukushima, onde foi fixada uma zona de evacuação de 20 quilômetros. Nos próximos 10 quilômetros, as pessoas são aconselhadas a permanecer em casa, com portas e janelas fechadas.

(Com agências EFE e France-Presse)

Publicidade