Clique e assine com até 92% de desconto

Ivanka Trump compartilha desprezo do pai por pobres, diz amiga

Em artigo à Vanity Fair, Lysandra Ohrstrom, que chegou a ser madrinha de casamento da herdeira do mandatário, revela detalhes sobre família do presidente

Por Da Redação Atualizado em 23 nov 2020, 17h42 - Publicado em 18 nov 2020, 19h47

Desde pequena, Ivanka Trump, filha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, compartilha a obsessão do pai por poder e dinheiro, e um aparente desprezo por pessoas pobres, revelou uma amiga de infância e adolescência da socialite em um artigo à Vanity Fair. Em um relato pessoal e intimista, a jornalista Lysandra Ohrstrom, que chegou a ser madrinha de casamento da herdeira do mandatário, detalha viagens, festas e outros luxos, além de ofensas proferidas ao longo dos anos. 

“Ela tinha o radar da família Trump para status, dinheiro e poder, e o instinto do pai para jogar outros na frente de um carro e se safar”, afirma a jornalista. Em uma das passagens, Lysandra diz que, já por volta dos 20 anos de idade, recomendou um livro para a amiga sobre trabalhadores em uma cidade pequena no estado do Maine.  O livro em questão é Empire Falls, vencedor do prestigioso Prêmio Pulitzer.

“Ly, por que você me diz para ler um livro sobre pobres?”, respondeu Ivanka, segundo a jornalista. “Que parte de você acredita que eu teria interesse nisso?”. 

Ela conta que, além de Donald Trump reparar nas amigas das filhas, ele era excessivamente elogioso com Ivanka. “Ele mal me cumprimentava, exceto para perguntar se Ivanka era a garota mais bonita ou mais popular da nossa série”, escreveu a jornalista. “Antes de aprender que os Trump não têm senso de humor sobre si mesmos, lembro-me de responder honestamente que ela provavelmente estava entre os cinco primeiras”. 

O presidente considerava a filha uma espécie de “jovem Cindy Crawford”, segundo a autora.

Lysandra chegou a ser dama de honra do casamento de Ivanka com Jared Kushner, em 2009, mas, a partir daí, a relação entre as duas foi se afastando, com contatos frios e cada vez menos frequentes. Uma vez, a jornalista tentou contar à amiga sobre um novo emprego e ouviu: “Não tenho tempo para isso.”

A autora afirmou ter escrito o artigo para mostrar a verdadeira Ivanka, apesar do risco de ser vista como hipócrita, ou uma privilegiada que tenta aparecer às custas das relações com a família Trump. As duas se conheceram quando tinham por volta de 12 anos, em uma escola de elite no Upper East Side, em Manhattan, durante uma viagem a Paris.

“Embora amigos e familiares tenham me alertado que esse artigo não será recebido da maneira que quero, acredito que já passou da hora que um dos muitos críticos da infância de Ivanka dê um passo à frente – nem que seja para garantir que ela nunca irá se recuperar da decisão de ligar o seu destino ao de seu pai”, escreveu.

 

Continua após a publicidade
Publicidade