Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Israel fecha aeroportos, televisões e estradas para o Yom Kipur

Pontos de passagem entre o território israelense e a Cisjordânia e a Faixa de Gaza também foram bloqueados

Por Da Redação - 8 out 2019, 15h42

Israel entrou em recesso por 25 horas nesta terça-feira, 8, para o Yom Kipur, dia sagrado do judaísmo. As fronteiras foram fechadas, assim como os aeroportos do país. As operações de transporte público, rádios e emissoras de televisão foram suspensas e algumas estradas do país bloqueadas para carros.

O Exército israelense fechou os pontos de passagem entre seu território e a Palestina, como já é costume no período. Apenas voluntários e funcionários de agências humanitárias são liberados para transitar para a Cisjordânia e a Faixa de Gaza.

Todos os voos do Aeroporto Ben Gurion, em Tel Aviv, pararam às 13h35 do horário local (7h35 em Brasília) e só serão retomados na manhã de quarta-feira, 9.

O transporte público no país também parou. Segundo o jornal The Times of Israel, apenas dois trens circularão até a noite de quarta-feira: um da cidade de Nahariya, no norte, para o aeroporto Ben Gurion, e outro de Beersheba, no sul, para Tel Aviv.

Publicidade

As principais estradas do país foram bloqueadas para carros no início da noite, como é tradição nacional. Durante a quarta-feira, devem ser tomadas por multidões de pessoas em bicicletas e outros veículos não motorizados.

Dirigir no Yom Kipur é considerado um tabu. Com as estradas fechadas, muitos israelenses menos religiosos aproveitam o feriado para andar nas ruas de bicicleta.

A medida em que o sol se pôs, as emissoras de rádio e televisão do país também suspenderam suas transmissões. Serviços de segurança e resgate, no entanto, permanecem em alerta máximo.

O Yom Kipur é o dia mais sagrado do calendário judaico. O feriado começa no pôr do sol que dá início ao décimo dia de Tishrei, o sétimo mês do calendário judaico, e continua até o final da tarde seguinte. O dia é dedicado ao jejum, à oração e à reflexão, ao arrependimento e ao perdão.

Publicidade

Para judeus religiosos, o período de 25 horas de jejum e oração estava marcado para começar nesta terça às 17h40 em Jerusalém e 17h55 em Tel Aviv. Terminará na quarta-feira às 18h51 e 18h53, respectivamente.

Publicidade