Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Israel cria linha de ônibus exclusiva para palestinos

Ministério de Transporte de Israel não confirma informação de jornal, mas motoristas dos ônibus dizem que os veículos regulares serão revistados

Por Da Redação 2 mar 2013, 20h14

O Ministério de Transporte de Israel abrirá uma linha de ônibus destinada exclusivamente a transportar trabalhadores palestinos entre o norte da Cisjordânia e Israel, informou neste sábado o jornal israelense Ynet. Motoristas de ônibus regulares contaram ao periódico que no cruzamento militar os soldados ordenarão que os palestinos que estiverem na linha regular saiam e entrem nos veículos destinados à população árabe.

“Não nos permitem negar o serviço. Não ordenaremos que ninguém desça do ônibus, mas, pelo que nos disseram, a partir da semana que vem haverá um controle no posto militar e será pedido aos palestinos que subam nos seus próprios ônibus’, declarou a Ynet um motorista da empresa Afikim, que atua na região. “Todo mundo gritará que é racismo e apartheid. Realmente não parece algo bom e talvez deveriam encontrar outra solução, mas a situação que existe atualmente é insustentável”, acrescentou o funcionário.

Leia também:

Leia também: Israel investe US$ 1 bilhão em escudo contra foguetes

Embora o Ministério dos Transportes assegure que a nova linha faz parte da rede geral, sua existência só foi informada nos povoados palestinos e com panfletos em árabe. As colônias judaicas na mesma região da Cisjordânia não receberam a informação. Segundo o jornal, o ministério assegura que os novos ônibus têm como objetivo diminuir a lotação das linhas. Além disso, a pasta defende o plano argumentando que houve protestos pela tensão e brigas entre passageiros árabes e judeus.

As novas linhas, assegurou o Ministério dos Transportes, “não são linhas separadas para palestinos”, mas pretendem melhorar os serviços oferecidos aos trabalhadores palestinos e substituir a “linhas irregulares, piratas, que cobram preços muito caros dos passageiros”, além de “reduzir a lotação, o que beneficiará tanto palestinos como israelenses”.

Sobre as instruções de não se permitir que os palestinos viajem nos ônibus destinados aos judeus, a viação Afikim disse que “a pergunta deve ser dirigida às forças de segurança”.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade