Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã nega estar por trás de ataques contra EUA e Israel

Azerbaijão acusou Teerã de recrutar rede terrorista que planejou atentados

O Ministério de Relações Exteriores do Irã negou que Teerã esteja por trás de uma suposta rede terrorista que pretendia atacar as embaixadas dos Estados Unidos e Israel em Baku, capital do Azerbaijão, informou neste domingo a agência local Mehr. O Irã responsabilizou Israel pelas acusações e ‘lamentou que o Azerbaijão se envolva nesse tipo de jogo político’.

O embaixador azerbaijano em Teerã, Javanshir Ajundov, foi convocado no sábado, pela terceira vez em pouco mais de um mês, pelo Irã, que negou que o Corpo de Guardiães da Revolução Islâmica estivesse relacionado com 22 supostos terroristas detidos nesse país.

No dia 14 de março, o Ministério de Segurança Nacional azerbaijano informou que seus serviços secretos tinham detido 22 terroristas, supostamente recrutados pelos Guardiães da Revolução para trabalhos de espionagem e atividades dos serviços secretos de Teerã em território azerbaijano. Em comunicado, as autoridades de Baku afirmaram que os detidos, todos eles de nacionalidade azerbaijana, eram acusados de preparar atentados contra as embaixadas dos EUA e Israel no Azerbaijão.

Segundo o Azerbaijão, a rede começou a se formar em 1999 e, entre esse ano e 2011, todos os detidos tinham viajado ao Irã para receber treinamento em atividades terroristas e estavam armados. Dois dias antes, em 12 de março, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, reuniu-se em Teerã com o ministro da Defesa azerbaijano, Safar Abiyev, e lhe mostrou a confiança do Irã em seu país, apesar da tensão entre Teerã e Baku nos últimos meses por causa da relação entre Azerbaijão e Israel.

(Com agência EFE)