Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inundações e desabamentos deixam 60 mortos na África do Sul

Bebê e criança estão entre os mortos; mais de 1.000 pessoas foram deslocadas diante do risco de novas tragédias

Enchentes e desabamentos de terra no litoral leste da África do Sul deixaram ao menos 60 mortos, informaram nesta quarta-feira, 24, as autoridades locais. Chuvas intensas atingem o país há dias e centenas de pessoas foram retiradas de suas casas.

A maior parte das mortes foi registrada na cidade portuária de Durban, na província de KwaZulu-Natal. Inundações também mataram ao menos três pessoas na província do Cabo Oriental, noticiou a emissora estatal SABC.

Um bebê de seis meses e uma criança pequena estão entre os mortos. Segundo o presidente Cyril Ramaphosa, mais de 1.000 pessoas foram deslocadas diante do risco de novas tragédias.

As regiões sul e leste do país são duramente atingidas por chuvas torrenciais há dias. Mais inundações e ventos fortes são esperados em áreas costeiras esta semana.

Victor da Silva, morador da cidade litorânea de Amanzimtoti, disse que sua família conseguiu sair antes de as inundações destruírem sua casa e seus carros.

“Na segunda-feira, a água estava uma loucura. E ontem de manhã cheguei aqui, tudo estava bem, minha garagem ainda estava aqui, a outra parte da casa ainda estava aqui, e simplesmente não parava de chover”, contou. “Então, uma hora e meia depois, tudo se foi, porque a chuva não parou mais”.

Diversas moradias foram arrastadas por deslizamentos de lama, disse Robert McKenzie, porta-voz dos Serviços de Emergências Médicas de KwaZulu-Natal.

O presidente Cyril Ramaphosa visitou comunidades afetadas de KwaZulu-Natal e deve ir ao Cabo Oriental nos próximos dias.

“Isso se deve em parte à mudança climática, que nos atinge quando menos esperamos”, disse, acrescentando que o governo providenciará fundos para auxiliar as pessoas atingidas pelas inundações.

Na semana passada, 13 pessoas morreram durante uma comemoração de Páscoa em KwaZulu-Natal, quando o muro de uma igreja desabou depois de dias de chuvas e ventos fortes.

(Com Reuters)