Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Inglesa que fingiu ser homem para ter relações sexuais com outra mulher é sentenciada a 8 anos de prisão

Por Da Redação 12 nov 2015, 16h48

Uma inglesa considerada culpada de abuso sexual após ter fingido ser homem para enganar e manter relações sexuais com uma colega foi sentenciada a 8 anos de prisão. A gerente de marketing Gayle Newland, da cidade de Willaston, na Inglaterra, foi julgada culpada em setembro e ouviu nesta quinta-feira sua sentença.

Para enganar a vítima, Gayle, de 25 anos, pedia que a parceira usasse uma venda durante os encontros, em 2013, dizendo que tinha vergonha das cicatrizes provenientes de uma cirurgia na cabeça.

Leia mais:

Inglesa que fingiu ser homem para ter relações sexuais com outra mulher é condenada por abuso sexual

“Você agiu inteiramente para sua própria satisfação sexual e escolheu ignorar o impacto devastador que a descoberta da verdade teria sobre ela”, disse o juiz Roger Dutton, ao anunciar a sentença.

Continua após a publicidade

Durante o julgamento, ela alegou que, por não se sentir à vontade sendo lésbica, criou um perfil masculino falso no Facebook para seduzir garotas, mas negou que estivesse enganando a colega, com quem teve cerca de dez encontros. Segundo Gayle, a moça sabia que ‘Kye Fortune’ – nome usado por Gayle para criar o perfil masculino falso – era, na verdade, uma mulher, e participava do ‘teatro’ pois também não aceita sua orientação sexual.

De acordo com a vítima, a farsa foi descoberta quando ela tirou a venda e percebeu que sua parceira usava uma prótese peniana, escondia os seios com uma atadura e cobria os longos cabelos com uma touca.

Leia também:

Juiz retira guarda de criança de casal de mulheres e afirma que ela ficará melhor com pais heterossexuais

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade