Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Indignados permanecem nas ruas da Espanha após eleição

Manifestantes desconsideram resultado do pleito e dizem que seu 'foco é outro'

Por Da Redação 23 Maio 2011, 12h32

Os Indignados, jovens acampados em vários pontos da Espanha que reivindicam mudanças políticas e sociais, continuaram os protestos nesta segunda-feira, tentando se desvincular dos resultados eleitorais deste domingo, que deram uma esmagadora vitória ao conservador Partido Popular (PP). Na Porta do Sol, em Madri, o epicentro do chamado Movimento 15M (referência ao dia que iniciaram os protestos, 15 de maio), os manifestantes, que estavam em menor número em relação aos dias anteriores, recusaram-se a comentar os resultados das eleições regionais e municipais. “Como movimento não vamos dizer nada sobre as eleições, porque o foco da nossa batalha é outro”, disse um dos porta-vozes da comissão de comunicação do movimento, que atribuiu a queda no número de acampados ao fato de que é segunda-feira e muita gente tem de voltar ao trabalho. O porta-voz acrescentou ainda que é “injusto” atribuir ao movimento qualquer responsabilidade em relação aos resultados eleitorais e que são os partidos políticos que devem assumir as consequências. Votos – O 15-M havia incitado os espanhóis a não votarem, votarem em branco ou votarem em partidos minoritários, que não fossem o Partido Socialista Espanhol (PSOE) ou o opositor Partido Popular (PP) – que obteve uma arrasadora vitória tanto nas eleições municipais quanto nas regionais, nas quais triunfaram sobre os socialistas em alguns de seus redutos eleitorais. Os Indignados pretendem manter os protestos até o próximo domingo, mas serão as assembleias que vão determinar se a data será prorrogada ou não. Os protestos continuaram também em outras cidades espanholas, como Barcelona, Granada, Sevilha e Zaragoza, embora com menor número de manifestantes. Na Praça Catalunha, em Barcelona, os jovens demonstraram indiferença diante dos resultados das eleições e consideraram que o sistema eleitoral do país está “caduco”. As eleições na Espanha deram início a manifestações em todo o país no dia 15 de maio. Jovens e simpatizantes do Movimento 15M pedem, entre outras coisas, uma regeneração democrática e uma mudança do sistema econômico que levou à grave crise econômica vivida pela Espanha. (Com agência EFE)

Publicidade