Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Incomum no Japão, ataque a tiros deixa três mortos no centro do país

Duas das vítimas eram policiais, que foram atacados com tiros e facadas; taxas japonesas de crimes com armas são as mais baixas do mundo

Por Da Redação
Atualizado em 25 Maio 2023, 09h28 - Publicado em 25 Maio 2023, 09h18

Um massacre da região central do Japão, com arma de fogo e facadas, deixou ao menos três pessoas mortas nesta quinta-feira, 25, incluindo dois policiais, informou a mídia local.

Segundo a emissora japonesa NHK, a polícia recebeu uma ligação às 16h30 (4h30 no horário de Brasília), com uma denúncia de que um “homem esfaqueou uma mulher” na cidade de Nakano.

Quando os policiais chegaram no local do ataque, o suspeito disparou algo parecido com um rifle de caça, atingindo quatro pessoas, antes de fugir e se esconder em um prédio. A mulher esfaqueada foi levada para o hospital, mas não resistiu.

+ O complicado histórico de crimes de guerra relacionado à morte de Abe

A NHK informou, posteriormente, que dois policiais também morreram devido a ferimentos e que uma outra pessoa ficou ferida. Além disso, informou que o suspeito usava chapéu, blusa e calças camuflados, bem como óculos escuros e uma máscara.

Continua após a publicidade

A cidade de Nakano emitiu um alerta para que os cidadãos ficassem em casa, em comunicado publicado nas redes sociais.

Incidentes com armas de fogo são extremamente raros no Japão. O país tem uma das taxas mais baixas do mundo da categoria de crime, devido às suas rígidas leis de controle de armas.

+ Assassinato de ex-premiê japonês pode ter relação com grupo religioso

Em 2018, o Japão, um país de 125 milhões de pessoas, registrou apenas nove mortes por armas de fogo. Em comparação, 39.740 pessoas morreram por tiros no mesmo ano nos Estados Unidos, segundo dados da Sydney School of Public Health da Universidade de Sydney. No Brasil, foram 41.179 pessoas, segundo o Atlas da Violência.

Continua após a publicidade

No entanto, o Japão registrou um tiroteio no ano passado que repercutiu em todo o mundo. Shinzo Abe, que ocupou por tempo recorde o cargo de primeiro-ministro do país, foi morto a tiros durante um comício em Nara, em julho.

+ Após ataque, premiê do Japão promete segurança máxima em encontro do G7

Seu assassinato levantou questões sobre a segurança do Japão, apesar do seu histórico de país pacífico.

Conseguir uma arma de fogo no Japão continua extremamente difícil, e o suspeito de atirar em Abe usou uma arma caseira.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.