Clique e assine com até 92% de desconto

Incêndio destrói cerca de 300 casas em favela de São Paulo

Por Da Redação 22 dez 2011, 15h28

(corrige dia da semana no segundo parágrafo).

São Paulo, 22 dez (EFE).- Um incêndio de grandes proporções ocorrido em uma favela de São Paulo destruiu nesta quinta-feira cerca de 300 casas, provocou pelo menos uma morte e deixou cerca de mil pessoas desabrigadas, informou a Defesa Civil da cidade.

O incêndio, controlado pelos bombeiros na tarde desta quinta-feira após cerca de três horas de combate ao fogo, destruiu totalmente a metade das casas da Favela do Moinho, construída em pleno centro de São Paulo.

O incêndio aparentemente começou em um edifício abandonado há vários anos, que tinha sido invadido por sem-teto e ao redor do qual a favela foi crescendo.

De acordo com os bombeiros, um corpo totalmente carbonizado foi encontrado dentro do prédio e é contabilizado, por enquanto, como a única vítima do incêndio.

Continua após a publicidade

Das três pessoas que sofreram ferimentos, uma estava no edifício e sofreu fraturas ao saltar do segundo andar para fugir das chamas. Os outros dois feridos sofreram intoxicação pela inalação da fumaça e foram levados para a Santa Casa.

O Corpo de Bombeiros precisou de 120 membros e 40 carros para controlar o fogo, que obrigou as autoridades a suspenderem o serviço de uma das linhas de trens da cidade, visto que a favela foi construída a poucos metros da ferrovia e as chamas também destruíram parte do seu sistema elétrico.

Os bombeiros tiveram que utilizar um helicóptero para resgatar 11 pessoas que tinham ficado presas em meio ao incêndio.

Apesar de a Defesa Civil calcular que metade das 600 casas que compunham a favela tenham ficado destruídas, os bombeiros consideram que as residências totalmente destruídas não passam de 35%.

Segundo os dados do Censo do ano passado, a Favela do Moinho conta com 1.656 habitantes em 530 casas.

A Defesa Civil, por sua vez, aponta que a população da comunidade é de 2,5 mil pessoas em 600 imóveis. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade