Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Há 50 dias em erupção, vulcão das Canárias aumenta força de explosões

Governo espanhol recomenda que moradores das 112 Ilhas que compõem o arquipélago das Canárias evitem exposição prolongada ar livre

Por Ernesto Neves Atualizado em 9 nov 2021, 15h06 - Publicado em 8 nov 2021, 14h23

Em atividade desde 19 de setembro, o vulcão Cumbre Vieja, nas ilhas Canárias, território pertencente à Espanha, vem aumentando a intensidade de sua erupção.

O alerta foi dado por vulcanólogos no último fim de semana. Além de constatar maior emissão de lava, os especialistas afirmaram que não há previsão para o fim da erupção.

Também foi verificado maior ejeção de cinzas. Como consequência, a qualidade do ar tornou-se péssima no povoado de Llanos de Aridane, na base do vulcão, com forte concentração de partículas em suspensão.

Segundo o governo local, é obrigatório o uso de máscaras PFF2 neste ponto da ilha. As autoridades também pediram que se evite o uso de carro na região, já que o deslocamento dos veículos aumenta a quantidade de partículas em suspensão.

De acordo com autoridades espanholas, a maior emissão de lava não deve se traduzir numa destruição maior dos povoados localizados no entorno do cume.

Continua após a publicidade

Isso porque o magma está sendo escoado pelos caminhos já abertos ao longo da erupção. Assim, o que se verifica até aqui é apenas o incremento na altura do material solidificado.

Até o momento, a lava do Cumbre Vieja atingiu uma área equivalente a 980 campos de futebol, destruindo cerca de 56 quilômetros quadrados. Quase 7.000 pessoas tiveram de ser evacuadas como medida de proteção.

Vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, Ilhas Canárias
Vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, Ilhas Canárias GETTY/Getty Images

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade