Clique e assine a partir de 9,90/mês

Grã-Bretanha abre inquérito para investigar morte do magnata russo Berezovski

Para Polícia, empresário teria se enforcado. Amigos, contudo, apostam em assassinato

Por Da Redação - 28 Mar 2013, 11h51

A Grã-Bretanha abriu um inquérito judicial nesta quinta-feira sobre o caso do magnata russo Boris Berezovski, encontrado morto no sábado, em sua mansão localizada em Ascot, perto de Londres. Ele estava caído no chão do banheiro com uma atadura em torno do pescoço; enroscado no trilho do box, havia material semelhante, sugerindo que o empresário teria se enforcado, informou o inspetor policial Mark Bissel.

A Polícia repetiu a informação de que não havia sinais de luta no local onde Berezovski foi encontrado, descrevendo novamente a morte do empresário de 67 anos como suicídio. Berezovski, que sobreviveu a anos de intrigas, disputas de poder e tentativas de assassinatos na Rússia, teria apresentado um quadro depressivo após ser derrotado em uma disputa judicial milionária contra o empresário Roman Abramovich.

Leia também:

Leia também: Imprensa russa tenta explicar morte de magnata Berezovski

Continua após a publicidade

Na quarta-feira, amigos de Berezovski afastaram a hipótese de suicídio, defendida pela Polícia. Na versão desses amigos, Berezovski tinha superado a depressão e recentemente havia resolvido seus problemas financeiros. O magnata teria até planejado uma viagem, que teria sido realizada na última segunda-feira. Questionado sobre o possível envolvimento de terceiros na morte do empresário, Mark Bissel respondeu que a hipótese ainda não pode ser completamente descartada.

Berezovski apadrinhou a ascensão de Vladimir Putin ao poder na Rússia, mas em 2000 os dois se tornaram inimigos. O magnata, então, fugiu para a Grã-Bretanha. Na Rússia, o subprocurador-geral Alexander Zvyagintsev disse à imprensa estatal que o governo vai continuar os esforços para “trazer de volta bens que Berezovski e seus cúmplices adquiriram criminalmente e legalizaram no exterior”.

Saiba mais:

Saiba mais: Grã-Bretanha acumula série de mortes suspeitas

Continua após a publicidade

(Com agência Reuters)

Publicidade