Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo belga confirma 4 mortos e 75 feridos em ataque

Um homem de 32 anos, e com passagem pela polícia, atirou três granadas em um movimentado ponto de ônibus da cidade de Liège e se matou em seguida

Por Da Redação 13 dez 2011, 09h57

Mapa: Liège, Bélgica
Mapa: Liège, Bélgica VEJA

Ao menos quatro pessoas morreram nesta terça-feira e 75 ficaram feridas em um atentado com armas de fogo e explosivos no centro da cidade belga de Liège (a 100 quilômetros da capital Bruxelas). Os números foram confirmados em uma coletiva de imprensa do governo no começo da tarde. O autor dos ataques também foi identificado: Nordine Amrani, de 32 anos, que se suicidou com uma granada em seguida.

Às 12h30 no horário local (9h30 no horário de Brasília), Amrani, que mora na cidade, saiu de uma padaria e atirou três granadas contra um movimentado ponto de ônibus na praça Saint-Lambert, onde fica o Palácio de Justiça da cidade. Antes de se matar, ele ainda usou uma arma para atirar contra a multidã.

Os outros três mortos ainda não tiveram suas identidades reveladas, mas já se sabe que são dois meninos, um de 15 e outro de 17 anos, e uma senhora de 75 anos. Os feridos foram distribuídos entre os hospitais da cidade e um posto médico instalado na própria praça.

Em um primeiro momento, a imprensa local havia apontado três suspeitos, dizendo que um teria morrido, outro teria sido preso e o terceiro teria fugido. Mas o prefeito, Willy Demeyer, que conversou com o comissário-chefe da polícia belga, desmentiu as informações: “O autor agiu sozinho, possuía granadas e uma kalachnikov (fuzil). Atirou contra a multidão na praça Saint Lambert antes de se matar com uma granada”.

Antecedentes – Amrani já era “conhecido da polícia”, ainda conforme o prefeito, por envolvimento com drogas. Ele foi preso há três anos por porte ilegal de armas e por cultivar 2.500 plantas de maconha, crimes que lhe renderam uma pena de 58 meses de prisão. O criminoso não sofria de doenças mentais nem tinha ligação com terrorismo.

O carro de Amrani foi encontrado na praça escolhida para o ataque – o principal centro comercial de Liège, onde havia muitas pessoas no local no momento das explosões. O veículo será inspecionado pela polícia. A imprensa local informa que o primeiro-ministro, Elio Di Rupo, e a ministra do Interior, Joëlle Milquet, juntamente com o casal real, estão se dirigindo para a cidade, onde devem fazer um pronunciamento em breve sobre o caso.

Michel Krakowski / AFP

A Praça Saint Lambert, no centro da cidade, foi isolada pela polícia após o ataque
A Praça Saint Lambert, no centro da cidade, foi isolada pela polícia após o ataque VEJA
Continua após a publicidade
Publicidade