Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gesto de cavalheirismo de Putin é alvo de censura na China

Imagens do presidente russo colocando uma manta sobre as costas de primeira-dama chinesa foram sumiram da mídia do país

Nem o cavalheirismo escapa da censura na China. Um gesto do presidente da Rússia, Vladimir Putin, com a primeira-dama chinesa, Peng Liyuan, se tornou assunto proibido no país asiático ao provocar curiosidade e piadas entre telespectadores e usuários de redes sociais.

O episódio que provocou a reação dos censores ocorreu durante o jantar de abertura do fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, na sigla em inglês), em Pequim.

O evento estava sendo transmitido pela TV estatal chinesa e na internet. Enquanto o locutor descrevia o encontro com um tom pomposo, a câmera capturou Putin trocando algumas palavras com Peng Liyuan. Ao lado deles estavam o presidente chinês Xi Jinping e o americano Barack Obama, que estavam distraídos conversando.

Logo depois, enquanto todos se ajeitavam na mesa, Putin se levantou e colocou uma manta sobre as costas de Peng, que agradeceu o gesto. Poucos segundos depois, a primeira-dama tirou a manta e colocou um casaco, que foi trazido rapidamente por um assessor.

Leia também:

Chefes de Estado plantam pinheiros durante cúpula da Apec na China

Obama e Putin têm encontros rápidos e desconfortáveis na Ásia​

O gesto, aparentemente banal, foi narrado pelo locutor. “Eu acabei de ver o presidente Putin gentilmente colocar um casaco sobre o corpo de Peng Liyuan”, disse ele.

As imagens se espalharam com rapidez na China e provocaram todo tipo de piada.

Alguns usuários fizeram comparações entre Putin e Xi Jinping e apontaram a falta de cavalheirismo do chinês para com sua mulher. Outros lembraram a fama de viril do russo, que gosta de divulgar fotos em poses atléticas e que se divorciou recentemente. Alguns chegaram mesmo a perguntar se Putin não estava “dando em cima” da chinesa.

Os censores, no entanto, logo entraram em ação e apagaram os vídeos da internet e passaram a “caçar” comentários mais provocadores sobre o episódio nas redes sociais do país. O vídeo, no entanto, continua sendo divulgado pela mídia estatal russa.

“A China é tradicionalmente conservadora nas interações públicas entre homens e mulheres não relacionados, e a ação de Putin provocou espaço para piadas”, disse o historiador e comentarista independente Zhang Lifan à agência Associated Press.

Desde que Xi Jinping assumiu a Presidência chinesa, há cerca de dois anos, a mídia estatal chinesa tem se esforçado para propagandear uma imagem do presidente e de Peng Liyuan como um “casal modelo”. Não são raras as ocasiões em que veículos de comunicação do país divulgam fotos de Xi segurando a mão da mulher ou a protegendo da chuva. Só que desta vez, Putin resolveu atrapalhar o roteiro ao fazer um gesto que deveria ter sido feito pelo seu colega chinês.

Para Li Xin, diretor do centro de estudos sobre a Rússia e a Ásia central do Instituto de Estudos Internacionais de Xangai, Putin estava apenas agindo como um russo. “É uma tradição na Rússia um homem digno respeitar as mulheres em ocasiões públicas, e em um país frio como a Rússia, é muito normal que um cavalheiro ajude as mulheres a colocar e tirar seus casacos. Mas os chineses não estão acostumados com isso”, afirmou ele para a AP.