Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fronteira da Irlanda emperra conversas sobre o Brexit

Líder da Irlanda do Norte descarta possibilidade da região ser colocada sob atuais regras da União Europeia

Apesar de terem chegado a um “entendimento comum” na maioria dos assuntos, as conversas conduzidas nesta segunda-feira sobre a primeira fase das negociações do Brexit entre Reino Unido e União Europeia emperraram. A questão sobre as Irlandas é o principal entrave para um entendimento sobre a saída britânica do bloco europeu.

“Apesar de nossos melhores esforços e do significativo progresso alcançado nas últimas semanas, não foi possível chegar a um acordo completo hoje”, disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, após um encontro de quase quatro horas com a primeira-ministra britânica, Theresa May, em Bruxelas. O oficial europeu destacou que o bloco “está preparado para continuar as negociações”, que serão retomadas neste fim de semana.

Os principais temas debatidos entre as partes foram os direitos dos cidadãos europeus e britânicos, a conta a ser paga por Londres para oficializar sua saída e um acordo sobre as relações entre a República da Irlanda, país independente, e o território britânico da Irlanda do Norte. Neste último ponto, o Partido Unionista Democrático (DUP), do Norte, comunicou que não aceitaria “qualquer divergência regulatória” que separasse o país do restante do Reino Unido, econômica ou politicamente, ao final do Brexit.

Segundo o primeiro-ministro irlandês, Leo Vadadkar, um acordo entre o país e o Reino Unido estava definido sobre a manutenção da República da Irlanda dentro do regime de livre mercado com a União Europeia, além da isenção de postos de controle na ilha, informou o jornal britânico The Independent. O acerto, contudo, caiu sob protestos do DUP, de quem May depende para um governo de maioria no Parlamento britânico.

“A Irlanda do Norte deixará a União Europeia nos mesmos termos que o resto do Reino Unido”, exaltou Arlene Foster, líder do DUP, em coletiva de imprensa em Belfast, que adicionou: “A integridade constitucional e econômica do Reino Unido não será comprometida de maneira alguma”. A negociação entre Londres e Dublin colocava a Irlanda do Norte sob as regras atuais do bloco europeu mesmo após o Brexit para todos os efeitos práticos.

Estima-se que as conversas entre o Reino Unido e a União Europeia evoluam rumo a um entendimento até o dia 14 de dezembro, quando o Conselho Europeu se reúne em Bruxelas para dar início à segunda fase das negociações do Brexit. Apesar dos entraves, Juncker acredita que os próximos encontros com May devem render “progressos suficientes” antes do início das conversas sobre as novas relações comerciais entre Londres e o bloco.

(Com agências internacionais)