Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

França e Espanha condenam violência na Síria

Por Jean-Pierre Muller - 4 fev 2012, 11h14

As autoridades sírias deram mais um passo na barbárie em Homs, epicentro da rebelião contra o regime de Bashar al-Assad, onde mais de 200 pessoas morreram desde sexta-feira, afirma em um comunicado o chefe da diplomacia francesa, Alain Juppé.

O chanceler francês classificou o ocorrido nas últimas horas em Homs como “crime contra a Humanidade” e afirmou que os autores devem responder na justiça.

“Esta continuidade da violência destaca a urgência do Conselho de Segurança da ONU sair de seu silêncio para denunciar os autores deste crime e abrir o caminho para a aplicação do plano político da Liga Árabe”, completou Juppé.

O plano prevê a saída de Bashar al-Assad antes do início de um diálogo com a oposição.

Publicidade

O governo da Espanha também condenou o que chanou de “níveis insuportáveis da repressão” exercida pelo regime sírio e pediu a aprovação na ONU de uma resolução de condenação a Damasco.

Publicidade