Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Flórida: Obama vence Romney com margem ínfima

A diferença entre os candidatos ultrapassou o meio ponto percentual - o que evitou que fosse exigida uma segunda apuração nesse estado americano

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, venceu seu rival Mitt Romney na disputa pela Casa Branca também na Flórida, por pouco mais de meio ponto percentual. O estado foi o último a divulgar o total da apuração eleitoral.

Como funcionam as eleições

Nos Estados Unidos, a votação para presidente é indireta, feita por 538 delegados. Eles são divididos entre os 50 estados americanos mais o distrito federal de acordo com sua população e seu número de deputados federais. O vencedor não é aquele que receber o maior número de votos dos eleitores, mas aquele que atingir a cota mínima de 270 delegados estaduais. Quanto mais populoso é um estado, mais deputados ele tem e mais peso possui na eleição. O candidato escolhido na Califórnia, por exemplo, leva todos os votos do colégio eleitoral do estado. Dessa forma, os partidos são obrigados a construir uma campanha nacional consistente, mesmo em lugares com menor número de eleitores.

Leia também:

Obama: ‘Não somos tão divididos quanto a política sugere’

Romney reconhece a derrota: ‘A nação escolheu outro líder’

Segundo os dados da Divisão Eleitoral do Departamento de Estado da Flórida, foram contabilizados os 8.344.369 votos apresentados, de um total de 11.934.446 eleitores que estavam registrados para votar – o que representa um comprarecimento às urnas de 69,92%. Do total, 4.083.435 votos foram para o republicano Mitt Romney, o que significa 49,29% do total; enquanto 4.129.499 ficaram com o democrata Barack Obama, o que representa 49,85%.

A apuração dos votos populares dá assim uma mínima vantagem a Obama, embora suficiente para não ter de proceder a uma segunda apuração, já que a legislação estadual estabelece esse recurso para os casos em que a margem é menor do que meio ponto percentual. Tanto Obama quanto Romney deram uma grande atenção à Flórida, o maior dos estados indecisos – aqueles onde o empate entre ambos tornava difícil prever quem seria o ganhador.

Votos – Obama conquistou a reeleição com pelo menos 303 votos no colégio eleitoral – um número mais folgado do que apontavam as previsões – e após impor-se a Romney em quase todos os estados-chave. A eleição começou a ser definida após o fechamento dos centros de votação nos primeiros estados da costa leste, quando as projeções das TVs apontaram vantagem de Obama em estados-chave como Pensilvânia e Ohio, e uma pequena vantagem na Flórida.

Finalmente, Obama confirmou seu favoritismo na Pensilvânia, com 20 delegados, em Ohio, com 18, e venceu na equilibrada Flórida, onde os 29 delegados foram decisivos para a reeleição. Obama também venceu nos estados-chave de Virgínia, com 13 delegados, Colorado, 9, e Nevada, 6. Com estes três estados determinantes, Obama assegurou 33 votos a mais do que os 270 necessários para permanecer na Casa Branca.

Participação – Pelo menos 120 milhões de pessoas eram esperadas para decidir entre o democrata e Romney após uma longa, cara e amarga campanha presidencial centrada em como reparar a economia em crise. E o índice de participação foi considerado recorde, segundo as estimativas. Uma multidão de partidários de Barack Obama festejava na madrugada desta quarta-feira, diante da Casa Branca, a reeleição do presidente democrata.

Gritando “mais quatro anos, EUA, EUA”, os manifestantes desafiaram o frio da madrugada para agitar bandeiras, dançar e abraçar os companheiros diante da residência presidencial em Washington. No voto popular, o resultado permanecia extremamente apertado nacionalmente, com 50% para Obama e 48% para Romney.

(Com agência EFE)