Clique e assine a partir de 9,90/mês

Filho caçula de Kim Jong-il teria herdado personalidade forte, problemas de saúde e paixão por cultura popular

Ele é apontado como o sucessor do pai, que sofreu um derrame, em 2008

Por Mariana Pereira de Almeida - 18 set 2010, 12h58

Caçula entre os quatro filhos de Kim Jong-il, o próximo governante do país mais fechado do mundo parece ter sido escolhido a dedo. Segundo as pouquíssimas informações já divulgadas sobre o herdeiro, Kim Jong-un é uma versão jovem do pai. “Assim como o ditador, ele teria uma personalidade forte”, disse ao site de VEJA Alexandre Uehara, especialista em Ásia e membro do Grupo de Análise da Conjuntura Internacional da Universidade de São Paulo (Gacint- USP).

O mistério sobre a vida de Kim Jong-un vem desde o seu nascimento, cuja data exata nunca foi dita. Nascido, portanto, entre o fim de 1983 e o início de 1984, o sucessor de Kim Jong-il pode assumir o poder antes dos 30 anos de idade.

A maior parte das informações sobre o jovem foi divulgada por um chefe de cozinha japonês, que trabalhou com a família e, em 2003, lançou um livro de memórias. O autor, que usa o pseudônimo de Kenji Fujimoto, também tornou pública uma das poucas fotos conhecidas de Kim Jong-un, que lhe foi dada quando deixou país. Embora a imagem tenha sido capturada quando o menino tinha 11 anos, sabe-se que ainda hoje ele lembra muito o pai.

Além dos traços físicos, Kim Jong-un teria herdado problemas de saúde do ditador, como diabetes e doenças cardíacas, que se acentuaram devido à falta de exercícios. Ele ainda seria admirador da cultura popular, assim como o pai, e fervoroso amante de cinema.

“O príncipe”, como Fujimoto costumava chamá-lo, estudou fora do país e fala francês, inglês e alemão. “Diferentemente do pai, Kim Jong-un e seus irmãos foram educados na Europa e possuem pouco envolvimento com a estrutura político-militar do país”, afirma Gilmar Masieiro, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP (FEA) e membro do Grupo de Estudos de Ásia-Pacífico da PUC-SP.

O escolhido, contudo, vem sendo preparado para a sucessão pelo menos desde 2009, quando a inteligência sul-coreana descobriu que os oficiais do norte haviam sido orientados a dar suporte à escolha do novo líder.

O favorito – Kim Jong-un sempre foi o preferido entre os quatro herdeiros de Kim Jong-il. O mais velho é filho da primeira mulher do ditador e os outros dois meninos e uma menina são da segunda – e favorita – esposa. Acredita-se que o tirano nunca se casou no papel, mas manteve três ou quatro parceiras, às vezes de maneira simultânea.

O filho caçula era também o favorito de sua mãe, que lhe chamava de “estrela da manhã”. A simpatia da esposa predileta e a personalidade semelhante à do pai parecem ter sido definitivas na escolha do sucessor. Segundo o livro de Fujimoto, o jovem é ambicioso e gosta de liderar, diferentemente de seus dois irmãos, que foram chamados, respectivamente, pelo próprio pai, de “fraco” e “afeminado”.

Confira a árvore genealógica da família Kim:

Continua após a publicidade
Publicidade