Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Fazendo frente à China, EUA e Taiwan divulgam nova iniciativa comercial

O representante comercial de Taiwan afirmou ser um "avanço histórico" para o país, que ficou de fora de um grupo comercial na Ásia anunciado por Biden

Por Da Redação 1 jun 2022, 16h35

Os Estados Unidos e Taiwan divulgaram nesta quarta-feira, 1, uma nova iniciativa comercial, depois que o país asiático foi excluído da iniciativa econômica do Indo-Pacífico que o presidente Joe Biden anunciou formalmente na semana passada.

A “Iniciativa EUA-Taiwan no Comércio do Século 21” marca o lançamento oficial das negociações comerciais entre os dois países. De acordo com o representante comercial de Taiwan, John Deng, o acordo abrange 11 áreas-chave: facilitação do comércio, práticas regulatórias, agricultura, anticorrupção, apoio a pequenas e médias empresas, comércio digital, direitos trabalhistas, meio ambiente, padrões de comércio, empresas estatais e chamadas “práticas e políticas não comerciais”.

Deng afirmou ser um “avanço histórico” para Taiwan, uma vez que abre espaço para mais comércio e cooperação econômica com os Estados Unidos. Disse também que a iniciativa é precursora da assinatura de um acordo de livre comércio entre as nações, pois inclui pré-requisitos para isso. O acordo pode levar à aceleração da assinatura de um acordo comercial bilateral, segundo ele.

O lançamento da iniciativa será paralelo aos esforços contínuos de Taiwan em aderir ao Quadro Econômico Indo-Pacífico para a Prosperidade, o Quad, acrescentou o representante comercial de Taiwan.

Em comunicado, o Escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos informou que o principal objetivo da iniciativa é “desenvolver um roteiro ambicioso para negociações para chegar a acordos com compromissos de alto padrão e resultados economicamente significativos”.

“Nos próximos dias e semanas, nos moveremos rapidamente para desenvolver um roteiro para possíveis negociações, seguidas de reuniões pessoais em Washington D.C. no próximo mês”, disse um funcionário do governo americano, acrescentando ter a pretensão de aprofundar relações econômicas com Taiwan.

+ Recados para a China marcaram viagem de Biden ao sul da Ásia

As negociações ocorreram depois da primeira viagem de Biden à ao continente asiático, na qual ele revelou o Quadro Econômico Indo-Pacífico para Prosperidade, o Ipef, que inclui 13 países – mas não Taiwan.

Na terça-feira 31, autoridades americanas mostraram-se abertas a incluir Taiwan no Ipef, mesmo enquanto desenvolviam a iniciativa bilateral. A intenção de Biden seria construir uma estratégia para criar uma esfera econômica com objetivo de combater a crescente influência da China na região.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)