Clique e assine a partir de 9,90/mês

Favorito de Trump para ser chefe de gabinete deixa a Casa Branca

Presidente anunciou demissão de seu assessor e agora procura substituto, em um sinal mais recente de problemas internos na Casa Branca

Por Da Redação - Atualizado em 10 Dec 2018, 11h04 - Publicado em 10 Dec 2018, 10h41

Nick Ayers, principal escolha de Donald Trump para ser seu novo chefe de gabinete, anunciou neste domingo 9 que deixará o governo no final do ano, depois de rejeitar a oferta do presidente dos Estados Unidos para ocupar o cargo.

Ayers, que atualmente é chefe de gabinete do vice-presidente Mike Pence, revelou sua decisão na sua conta pessoal do Twitter. Nos dias anteriores, a imprensa americana especulava que ele seria o candidato favorito de Trump para substituir John Kelly como chefe de gabinete da Casa Branca.

“Obrigado ao presidente Trump, ao vice-presidente Pence e a meus maravilhosos colegas pela honra de servir à nossa nação na Casa Branca. Sairei no final ano, mas trabalharei com a equipe para impulsionar a causa”, indicou Ayers.

A decisão do assessor é o sinal mais recente de problemas em uma reformulação interna na Casa Branca.

Continua após a publicidade

Trump anunciou no sábado 8 que John Kelly deixará o cargo de chefe de gabinete no final do ano, depois de meses de tensões. O general aposentado e o presidente cultivavam um relacionamento tempestuoso.

Kelly tentou levar mais ordem e estabilidade a uma Casa Branca muitas vezes caótica sob o comando do imprevisível Trump. Suas atitudes, contudo, desagradavam o presidente.

Desistência de Ayers

No domingo, os jornais The Wall Street Journal e The New York Times já haviam adiantado que Ayers, de 36 anos, não ocuparia o posto de chefe de gabinete, e que planejava ajudar a campanha de reeleição de Trump de um cargo externo.

Segundo as reportagens, Trump quer que seu próximo chefe de gabinete se comprometa a permanecer no cargo até depois das eleições de 2020, nas quais o presidente buscará a reeleição.

Continua após a publicidade

Ayers, que tem três trigêmeos pequenos, só estava disposto a ocupar o posto durante três meses, para depois voltar ao seu estado da Geórgia.

O presidente americano se mostrou inicialmente aberto a dar um posto temporário a Ayers enquanto buscava um assessor permanente, mas finalmente decidiu que não valia a pena, segundo os jornais citados.

Alternativas

Trump não tem certeza ainda sobre quem será o substituto de Kelly, mas neste final de semana assegurou a vários de seus confidentes que está pensando em nomear o congressista republicano Mark Meadows, de acordo com o portal de notícias Axios.

Meadows, de 59 anos, é o presidente do Freedom Caucus, um grupo de congressistas ultraconservadores na Câmara de Representantes dos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Por sua parte, o jornal The New York Times afirmou que Trump também tinha cogitado entregar o posto ao secretário do Tesouro, Steven Mnuchin; ao diretor de orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney; ou ao representante de Comércio Exterior, Robert Lighthizer.

(Com EFE e Reuters)

Publicidade