Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Família divulga vídeo para tentar impedir eutanásia de francês em estado vegetativo

Na semana passada, a Corte Europeia de Direitos Humanos autorizou o hospital a desligar os aparelhos que mantêm Vincent Lambert vivo há sete anos

Familiares de Vincent Lambert, o francês tetraplégico que teve a eutanásia passiva autorizada pela Corte Europeia de Direitos Humanos, divulgaram um vídeo do paciente nesta semana para tentar impedir que o hospital desligue os aparelhos que mantêm o paciente vivo.

Com as imagens, a família tenta mostrar que Lambert responde aos estímulos externos – no vídeo, intitulado ‘Vincent Lambert não está no fim da vida’, ele movimenta os olhos e a boca enquanto ouve a voz da mãe ao telefone e recebe a visita do irmão. Lambert, de 39 anos, sofreu um acidente de moto em 2008 que provocou lesões cerebrais irreversíveis e vem sido mantido vivo com a ajuda de aparelhos desde então.

Leia também:

Enfermeira estuprada que estava em coma há 42 anos morre na Índia

Condenado por estupro e assassinato quer morrer, mas médicos não deixam

A família está dividida em relação à situação de Lambert. A esposa e alguns irmãos concordaram com a recomendação médica para interromper os cuidados que o mantêm vivo (eutanásia passiva), enquanto os pais e outros irmãos acreditam que há sinais de progresso e que o paciente apenas precisa de tratamentos melhores.

O vídeo reacendeu a polêmica em torno do caso na França. Os médicos que cuidam do caso, no entanto, condenaram a divulgação das imagens e dizem que elas não contradizem o diagnóstico anterior. Segundo eles, Lambert permanece em estado vegetativo. Eric Kariger, um dos médicos que já cuidou de Lambert, disse, em uma entrevista a uma canal de TV local, que se trata de uma tentativa desespeitosa de manipular a opinião pública, que não entende o diagnóstico do paciente. Kariger afirma que, embora pareça que Lambert está reagindo aos estímulos no vídeo, ele não está de fato respondendo a esses estímulos e permanece em estado vegetativo sem esperança de recuperação.

A rede britânica BBC reportou que Bernard Devalois, chefe da unidade de cuidados paliativos de um hospital de Paris, descreveu o vídeo como “obsceno”, afirmando que ele as imagens não mostram nada diferente do que os médicos já viram. De acordo com Devalois, “se você ler a lista telefônica para o paciente, ele terá a mesma reação”.

Confira as imagens de Vincent Lambert (a partir de 0:53):

(Da redação)