Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Facebook bloqueia perfil de Maduro por divulgação de informação falsa

Ditador da Venezuela promoveu uso de medicamento ineficaz contra a Covid-19

Por Julia Braun 27 mar 2021, 14h04

O Facebook anunciou neste sábado, 27, a suspensão do perfil do ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, por violar as políticas contra a divulgação de informações falsas sobre a Covid-19. O chavista promoveu sem oferecer evidências científicas um remédio que, segundo ele, curaria a doença.

“Removemos um vídeo publicado na página do presidente Nicolás Maduro por violar nossas políticas sobre desinformação relacionada a covid-19 e que poderia colocar as pessoas em risco”, afirmou um porta-voz do Facebook. A medida não elimina permanentemente a conta do presidente ou deixa a página invisível na plataforma, mas impede que seus administradores publiquem mensagens ou façam comentários por um mês.

O venezuelano compartilhou um vídeo em que recomenda o uso do Carvativir, que ele chama de “gotas milagrosas” criadas pelo médico venezuelano do século 19 José Gregorio Hernandez. Não há nenhum estudo médico sobre a eficácia do medicamento.

Esta não é a primeira vez que Maduro é repreendido nas redes sociais por postagens em que promove remédios não testados para o tratamento da Covid-19.

Em fevereiro, o presidente criticou o Facebook por censurar outro de seus vídeos relacionados ao Carvativir. “Eles dizem que até que a OMS diga sim eu não posso falar do Carvativir. Quem manda na Venezuela? O dono do Facebook? Quem manda no mundo? O dono do Facebook? Abusadores, Zuckerberg é o nome? É um tremendo abusador”, disse.  O governo venezuelano também já acusou outras redes sociais, como Twitter e Youtube, de censura.

Com 30 milhões de habitantes, a Venezuela acumula mais de 154.000 casos confirmados de Covid-19 e 1.532 mortes, de acordo com os números oficiais, que são questionados por organizações humanitárias.

Continua após a publicidade
Publicidade