Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Explosão em cinema durante jogo do Brasil mata 21

Há também mais de 20 feridos, alguns em estado grave. Polícia nigeriana suspeita que grupo radical islâmico Boko Haram é o responsável pelo atentado

Uma explosão dentro de um cinema que transmitia a partida entre Brasil e México pela Copa do Mundo deixou ao menos 21 mortos e mais de 20 feridos na cidade de Damaturu, na Nigéria. O número de vítimas fatais pode ainda aumentar, disseram fontes do hospital Sani Abacha, pois há vários feridos em estado grave. Segundo testemunhas citadas pelo jornal Daily Trust, uma bomba explodiu em um triciclo estacionado na frente do cinema Jamilu Cross Fire pouco depois das 20h00 (16h00 em Brasília).

“Escutamos um barulho ensurdecedor e as pessoas começaram a gritar pedindo ajuda. Eu saltei por cima da cerca e busquei refúgio. Só Deus sabe quantas pessoas perderam a vida”, comentou um sobrevivente citado pelo jornal. As autoridades tinham advertido recentemente a população para que não assistisse os jogos da Copa em lugares públicos, por serem alvos fáceis para um atentado da seita radical islâmica Boko Haram.

Leia também

Boko Haram exige 800 vacas para libertar 20 mulheres sequestradas

Boko Haram sequestra cerca de 20 mulheres na Nigéria

Nigéria proíbe protestos a favor da libertação de meninas sequestradas

No início deste mês, pelo menos 40 pessoas morreram em um ataque com bomba em um bar do estado de Adamawa, também no norte do país, aonde dezenas de pessoas assistiam pela televisão um jogo de futebol. Esse atentado fez o governo do estado proibir a projeção de partidas do Mundial em estabelecimentos públicos movimentados. Apesar do ataque de ontem à noite não ter sido reivindicado por nenhum grupo, as suspeitas recaem sobre o Boko Haram, que tem o norte do país como centro de operações e reduto espiritual. Yobe e Adamawa são dois dos três estados do norte que o governo federal declarou situação de emergência para combater os insurgentes islâmicos.

Saiba mais:

Boko Haram, o terror que ameaça a maior economia da África

A seita, cujo nome significa nas línguas locais ‘a educação não islâmica é pecado’, luta para impor um Estado islâmico na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul. Desde que a polícia matou, em 2009, o então líder e fundador do Boko Haram, Mohammed Yousef, os radicais mantêm uma sangrenta campanha que já fez mais de quatro mil vítimas fatais. A Nigéria é o país mais povoado da África, tem 170 milhões de habitantes distribuídos em mais de 200 grupos tribais, e sofre inúmeras tensões por suas profundas diferenças políticas, religiosas e territoriais.

(Com agência EFE)