Clique e assine a partir de 9,90/mês

Exército do Egito pede respeito ‘à Constituição e à lei’

Por - - 9 jul 2012, 15h56

O Exército egípcio pediu nesta segunda-feira respeito à “Constituição e à lei”, em reação à decisão do presidente Mohamed Mursi de restaurar a Assembleia Popular, dissolvida em meados de junho por uma ordem judicial.

Em um comunicado divulgado pela agência oficial de notícias Mena, o Conselho Supremo das Forças Armadas (CSFA), referindo-se aos “últimos acontecimentos na cena nacional”, enfatiza “a importância da soberania da lei e da Constituição”, dizendo-se “confiante de que todas as instituições do Estado vão respeitar o que foi dito nas declarações constitucionais”.

A Suprema Corte Constitucional anulou as últimas eleições legislativas, amplamente vencidas pelos islamitas, por meio de uma brecha jurídica na lei eleitoral. Ao considerar o Parlamento dissolvido, os militares recuperaram o Poder Legislativo.

Mas o novo presidente do Egito, pertencente à Irmandade Muçulmana, decidiu por decreto restaurar o Parlamento no domingo.

Continua após a publicidade

O CSFA assegurou em seu comunicado ter dissolvido o Parlamento em aplicação “do julgamento da Suprema Corte Constitucional que decretou a invalidade da Assembleia do Povo”.

Publicidade