Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-estrategista de Trump é citado em audiência sobre vazamento de dados

Steve Bannon teria indicado os serviços da Cambridge Analytica para o grupo Leave.EU, defensor do Brexit

Ex-estrategista do presidente dos Estados Unidos, Donald TrumpSteve Bannon foi quem indicou os serviços da consultoria Cambridge Analytica, envolvida no escândalo de vazamento de dados do Facebook. A acusação foi feita hoje (12) pelo empresário britânico Arron Banks, um dos principais defensores da saída do Reino Unido da União Europeia no referendo realizado em 2016.

Banks foi ouvido na Comissão de Cultura, Veículos de Imprensa e Esportes da Câmara dos Comuns para explicar o vínculo da Cambridge Analytica com o grupo Leave.EU, fundado por ele para defender a saída do Reino Unido do bloco europeu. Os deputados também queriam detalhes sobre as relações do empresário com a Rússia.

O milionário revelou que encontrou duas vezes Bannon, que comandou a campanha eleitoral de Trump e foi o estrategista-chefe da Casa Branca nos sete primeiros meses do mandato do republicano.

Banks reconheceu que teria utilizado os serviços da Cambridge Analytica se o Leave.EU tivesse sido escolhido pela Comissão Eleitoral como o grupo oficial de campanha em favor do Brexit. Mas a tarefa coube ao Vote Leave, projeto apoiado por vários ministros do governo do então primeiro-ministro David Cameron.

A Cambridge Analytica, que fechou as portas em maio, está sendo investigada no Reino Unido por ter usado dados de milhões de usuários do Facebook de forma ilegal.

Os deputados britânicos devem questionar Banks sobre os contatos que ele manteve com o embaixador da Rússia no Reino Unido, Alexander Yakovenko, durante a campanha do referendo de 2016.

No início da audiência, o ex-chefe de comunicação do Leave.EU e aliado de Banks, Andy Wigmore, que também está sendo ouvido hoje, questionou a idoneidade do presidente da comissão, Damian Collins.

Wigmore revelou que Collins recebeu ingressos gratuitos do dono do Chelsea, o empresário russo Roman Abramovich, para assistir a uma partida do clube contra o Crystal Palace. Para o ex-assessor, o fato impede que o deputado faça questionamentos sobre o caso. O deputado reconheceu que assistiu à partida, mas disse que não conheceu Abramovich, descrito por Wigmore como o “homem do presidente da Rússia em Londres“.