Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA submetem os 195 americanos resgatados de Wuhan a quarentena

Isolamento é o primeiro a ser imposto no país em 50 anos; CDC diz preferir uma atitude severa a subestimar a epidemia

Por Da Redação Atualizado em 31 jan 2020, 17h55 - Publicado em 31 jan 2020, 17h42

Os Estados Unidos determinaram que os 195 passageiros resgatados nesta semana de Wuhan, na China, devam ser submetidos a quarentena por 14 dias em uma base aérea em Riverdale, na Califórnia, segundo o jornal Los Angeles Times. A medida tem o objetivo de evitar possíveis contaminações do coronavírus 2019 n-CoV em território americano. O país já constatou na quinta-feira 30 o primeiro caso de infecção de pessoa que não esteve na China.

Esta é a primeira vez, em 50 anos, que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) determina uma quarentena nos Estados Unidos. “Enquanto nós reconhecemos ser esta uma ação sem precedentes, nós estamos enfrentando uma ameaça de saúde pública também sem precedentes, e este é um dos instrumentos para mitigar o impacto potencial desse novo vírus nos Estados Unidos”, afirmou Nancy Messonnier, diretora do Centro Nacional para Imunização e Doenças Respiratórias do CDC. “Preferimos ser lembrados por uma reação severa do que por subestimar o caso”, completou.

  • No início desta semana, o Departamento de Estado americano enviou uma aeronave a Wuhan, o epicentro da epidemia, para buscar os funcionários de seu consulado e seus familiares. O avião pousou no Alaska para reabastecimento e seguiu para a Califórnia, onde pousou na quarta-feira 29.

    Há seis casos de contaminação pelo coronavírus causador de pneumonia nos Estados Unidos. Outros 26 países confirmaram a presença de pacientes. No total, há 9.936 pessoas enfermas no mundo, das quais 9.782 na China, o único país a registrar óbitos provocados pelo 2010 n-CoV, que somam 213.

    Continua após a publicidade
    Publicidade