Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA negam estar armando rebeldes na Síria e mantém acusação à Rússia

Washington, 13 jun (EFE).- Os Estados Unidos rejeitaram nesta quarta-feira a acusação da Rússia que estariam armando os rebeldes na Síria e insistiram que Moscou está enviando helicópteros militares a Damasco, depois que o Ministério de Exteriores russo negou esse fato.

‘Os EUA não proporcionaram nenhum tipo de apoio militar à oposição síria. Nenhum’, sentenciou a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, em entrevista coletiva posterior a seu encontro com seu colega indiano, S.M. Krishna.

O titular de Exteriores russo, Sergéi Lavrov, fez essa acusação hoje em resposta a outra formulada por Hillary na terça-feira, quando assegurou que há helicópteros militares da Rússia rumo à Síria.

Apesar de Lavrov ter negado o fato e assegurado que Moscou só enviou ‘sistemas de defesa antiaérea’ como parte de contratos assinados há tempo, a chefe da diplomacia americana manteve sua acusação, ao assinalar que seus comentários de terça-feira foram ‘muito claros’.

‘Obviamente, sabemos, porque eles nos confirmam, que seguem enviando armas ao regime sírio’, ressaltou Hillary, que pediu que a Rússia colabore com os EUA na busca de uma ‘via à transição política’ para uma Síria que está ‘degenerando rumo a uma guerra civil’.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, negou também a acusação de Lavrov, ao assegurar que os EUA ‘não proporcionam nem proporcionaram armas à oposição síria’, em sua entrevista coletiva diária.

Segundo Hillary, o único apoio americano foram US$ 52 milhões em ajuda humanitária e médica e um pacote de assistência não-letal, ‘que inclui equipamentos de comunicações’.

A porta-voz de Clinton, Victoria Nuland, não quis dar mais detalhes sobre os helicópteros russos, e se limitou a assinalar que o Departamento de Estado ‘mantém essa afirmação’.

Nuland acrescentou que ‘os helicópteros russos e de fabricação soviética são a base da frota aérea síria, e estamos vendo como usam esses helicópteros em toda a Síria contra civis’.

‘Estamos vendo tripés de armas nesses helicópteros que disparam contra povoações em Homs, Hama, Latakia e Idlib. E comprovamos que os russos voltaram a fornecer armas que venderam aos sírios pelo menos até janeiro’, comentou a porta-voz.

A tensão pelas mútuas acusações entre Hillary e Lavrov complicou a tentativa dos EUA de se aproximarem da Rússia para resolver a equação na Síria, onde consideram crucial a influência russa para convencer o presidente sírio, Bashar al Assad, a ceder o poder a seu vice-presidente.

‘Mais que manter um debate a distância com meu colega, peço que sigamos a liderança de Kofi Annan (enviado especial da ONU e da Liga Árabe) e nos reunamos para implementar os pilares de seu plano’, afirmou Hillay.

‘A Rússia diz que não tem nenhuma paixão particular por Assad e assegura ter um interesse vital na região. Estão arriscando tudo isso se continuarem apoiando militarmente o regime’, concluiu. EFE