Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA esperam desarmamento da Coreia do Norte em até dois anos e meio

Mike Pompeo, secretário de Estado americano, afirma que país retomará exercícios militares com a Coreia do Sul caso as negociações se mostrem improdutivas

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse nesta quarta-feira (13) que o governo americano espera um “grande desarmamento” do arsenal nuclear da Coreia do Norte nos próximos dois anos e meio e informou que o presidente americano, Donald Trump, disse ao líder norte-coreano, Kim Jong-un, que está preparado para retomar os exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul caso as negociações se mostrem improdutivas.

Pompeo fez a declaração ao responder a pergunta de um repórter, que o questionou sobre se o governo americano esperava conquistar um “grande desarmamento” ainda no governo de Trump, até janeiro de 2021. “Absolutamente”, respondeu. “Você usou o termo grande, grande desarmamento, algo assim? Estamos esperançosos de que podemos conseguir isso nos próximos dois anos e meio”, disse ele a repórteres.

Trump realizou um encontro com Kim Jong-un em Singapura nesta terça-feira (segunda-feira, no Brasil). Após a reunião, os líderes emitiram uma declaração conjunta que reafirmava o compromisso de “trabalhar para a completa desnuclearização da Península Coreana” e, em contrapartida, dava garantias americanas de segurança à Coréia do Norte.

O documento, porém, não fornece nenhum detalhe sobre quando Pyongyang abandonaria seu programa de armas nucleares ou como poderia ser feita a verificação de suas atividades.

Pompeo, que chegou a Seul nesta quarta-feira para conversar com autoridades sul-coreanas e japonesas, também se queixou de que a declaração da cúpula assinada por Trump e Kim era vaga e não conseguia garantir um compromisso explícito de Pyongyang.

A promessa da Coreia do Norte de trabalhar para a “completa desnuclearização” da península norte-coreana, afirmou Pompeo, equivale ao compromisso de Pyongyang de aceitar que a eliminação de suas armas e forças nucleares seja irreversível e verificável, embora nenhuma dessas palavras estejam na declaração conjunta.

No início do dia, Trump disse que sua cúpula em Singapura com o líder da Coreia do Norte trouxe um fim à ameaça nuclear que o país asiático representa.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)