Clique e assine a partir de 9,90/mês

EUA ameaçam se retirar de negociações com Irã se não puderem verificar presença de arma nuclear

Obama quer garantia de que iranianos não fabricarão arma de destruição em massa

Por Da Redação - Atualizado em 30 jul 2020, 21h38 - Publicado em 8 mar 2015, 14h42

O presidente Barack Obama afirmou em uma entrevista à rede CBS exibida neste domingo que os Estados Unidos estão preparados para se retirar das negociações sobre o programa nuclear com o Irã caso não possam ter certeza sobre se o país asiático produzirá armas de destruição em massa. “Se não pudermos nos certificar de que não irão obter uma arma nuclear, não o aprovaremos”, afirmou o presidente ao Sunday News.

Obama fez as declarações neste sábado, enquanto seu secretário de Estado, John Kerry, resolvia em Paris diferenças com a França, que exige mais garantias para o acordo. Os dois países estão em conversas com o Irã para tentar persuadir as autoridades de Teerã a conter seu programa nuclear em troca de alívio nas sanções que enfraqueceram a economia local, muito dependente da exportação de petróleo. Kerry participou de uma rodada de negociações de três dias com o chanceler iraniano no começo da semana passada, na Suíça. Os temas-chave de um possível acordo passam pelo nível de produção de urânio enriquecido permitido ao Irã, o grau de supervisão internacional e a duração do acordo.

O Irã nega que busque produzir a arma atômica em suas instalações, entre elas um reator de plutônio em Arak, não concluído, e uma unidade de enriquecimento de urânio em Fordo. Neste sábado, o principal nome da Organização iraniana de Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, citou progressos nas negociações com os Estados Unidos na Suíça. “Conseguimos responder às suas preocupações fazendo propostas técnicas, enquanto defendemos os interesses nacionais e nossa indústria nuclear”, declarou à TV iraniana.

Leia também

Continua após a publicidade

EUA e Irã retomam negociação após alerta de Netanyahu

Obama: ‘Não há nada de novo’ no discurso de Netanyahu

Netanyahu: acordo nuclear põe o Irã mais perto da bomba

Publicidade