Estrela da TV russa se candidata à presidência | VEJA
Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Estrela da TV russa se candidata à presidência

Ksenia Sobchak é filha do mentor político de Vladimir Putin e editora-chefe de uma revista de moda

Por Da redação 18 out 2017, 21h31

Estrela da televisão russa, Ksenia Sobchak anunciou nesta quarta-feira sua intenção de concorrer às eleições presidenciais de março. A filha do ex-prefeito de São Petersburgo é próxima do campo liberal e deve representar parte da oposição diante de uma provável candidatura de Vladimir Putin.

“Como qualquer cidadão da Rússia, tenho o direito de concorrer à presidência”, declarou a mulher de 35 anos em um vídeo postado em seu site de campanha. Descrita pela revista Vogue como a versão russa da socialite norte-americana Paris Hilton, Sobchak é filha de Anatoli Sobtchak, ex-prefeito de São Petersburgo e mentor político do presidente Putin.

Ksenia estrelou vários programas de televisão e é editora-chefe da versão russa da revista de moda L’Officiel. Embora tenha pouca probabilidade de vitória, em seu vídeo de lançamento disse ter o direito de concorrer ao cargo político mais alto da Rússia sob a Constituição do país, que estipula que todos os candidatos devem ter 35 anos ou mais.

  • “Eu decidi exercer este direito porque eu sou contra todos estes (candidatos) que normalmente exercem este direito”, disse. “Quando eu tinha 18 anos e estava estudando na universidade, Vladimir Putin se tornou presidente da Rússia. Crianças que nasceram naquele ano irão votar agora. Pense nisto”.

    Pesquisas de opinião indicam que Putin, que domina a política russa há quase duas décadas, irá vencer confortavelmente a reeleição caso, como muitos observadores esperam, decida buscar em março o que seria seu quarto mandato. No entanto, uma minoria significativa de eleitores acusa o chefe do Kremlin de supervisionar um sistema corrupto que isolou a Rússia do mundo.

    Um de seus principais opositores é Alexei Navalny, blogueiro e ativista que organizou uma série de protestos contra o presidente no país. Autoridades russas dizem que Navalny está inelegível para concorrer à presidência por conta de uma condenação criminal, que ele diz ter sido forjada.

    (Com Reuters e AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade