Clique e assine a partir de 9,90/mês

Estados Unidos vão agilizar liberação de visto para turistas

Quem já tem autorização, por exemplo, não precisará fazer entrevista de novo; iniciativa beneficia principalmente turistas do Brasil, que receberá projeto-piloto

Por Da Redação - 19 jan 2012, 15h14

Dos 820.000 brasileiros que pediram permissão para viajar aos Estados Unidos entre outubro de 2010 e setembro de 2011 (ano fiscal americano), 791.000 a obtiveram – 40% a mais do que no ano anterior

Os Estados Unidos vão adotar novas regras para simplificar e agilizar o processo de obtenção de vistos para turistas. As medidas, anunciadas nesta quinta-feira pelo presidente Barack Obama em um discurso na Disney World, Flórida, buscam fomentar o turismo no país e devem beneficiar sobretudo turistas do Brasil e da China, em cujos consulados serão implantados o programa-piloto. A estimativa é que a capacidade de processamento de documentos nestes dois países aumente 40% em um ano. Atualmente no Brasil, o processo pode levar meses devido à burocaria e à alta procura – nos últimos dez anos, o volume de autorizações anuais passou de 230.000 para cerca de 800.000. Os viajantes brasileiros, com um gasto médio de 4.200 dólares por viagem, estão entre as três nacionalidades que mais deixam dinheiro ao visitarem território americano, ao lado de chineses e indianos.

Leia também:

Leia também: Brasileiros nunca foram tão bem-vindos nos Estados Unidos

Continua após a publicidade

Em seu discurso, Obama ressaltou a importância dos brasileiros, chamando-os de “uma enorme população que adora vir para a Flórida”. Os Estados Unidos não divulgaram quando o novo programa entra em vigor, mas a expectativa é que ele marque o início do relaxamento para a exigência do visto a alguns países. A ordem executiva divulgada pela Casa Branca pediu aos ministérios envolvidos que preparem um plano em 60 dias que assegure que “80% das solicitações sejam atendidas em até três semanas” no Brasil e na China, salvo exceções que envolvam a segurança do país.

Dos 820.000 brasileiros que pediram permissão para viajar aos Estados Unidos entre outubro de 2010 e setembro de 2011 (ano fiscal americano), 791.000 a obtiveram – 40% a mais do que no ano anterior. Para a China, foram concedidos no mesmo período 885.000 vistos, ante mais de 1 milhão de solicitações, um crescimento de 34%. Segundo cálculos citados pela Casa Branca, o crescimento das classes médias na China, Brasil e Índia devem provocar um aumento do número de viagens para esses países de 135%, 274% e 50%, respectivamente, até 2016.

Economia – O programa, destacou Barack Obama, é uma tentativa de injetar mais recursos na economia do país, que ainda se recupera da recessão. “A cada ano, dezenas de milhões de turistas de todo o mundo vêm visitar os Estados Unidos. E quanto mais visitantes vierem, mais americanos voltarão a trabalhar”, disse o presidente. “Queremos mais gente vindo facilmente aos Estados Unidos”. As facilidades, porém, não serão aplicadas a indivíduos considerados de alto risco, para os quais a concessão do visto continuará seguindo o processo atual, com entrevista pessoal e identificação biométrica. “A segurança nacional continua a ser a mais alta prioridade”, ressalta o Departamento de Estado.

Publicidade