Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Esqueleto encontrado em Leicester é do rei Ricardo III

Restos mortais estavam desaparecidos desde 1485, quando monarca morreu

O esqueleto encontrado em um estacionamento de Leicester (centro da Grã-Bretanha) é do rei Ricardo III, morto em 1485 no campo de batalha e imortalizado por Shakespeare, anunciaram especialistas nesta segunda-feira. Os restos mortais do soberano, desaparecidos em um mistério secular, serão sepultados na catedral da cidade.

“A conclusão acadêmica da Universidade de Leicester é que, além de qualquer dúvida razoável, o indivíduo exumado em Greyfriars, em setembro de 2012, é efetivamente Ricardo III, o último rei da Inglaterra da casa Plantageneta”, afirmou o arqueólogo Richard Buckley, que coordenou a investigação, desencadeando aplausos do público.

Até o momento se sabia que o monarca, de reputação controversa, morreu em 1485 com armas nas mãos na batalha de Bosworth Field, perto de Leicester. Sua morte encerrou a Guerra das Rosas, mas seu corpo nunca havia sido encontrado. O rei estava em uma capela franciscana, destruída no século XVI, onde muito mais tarde foi construído o estacionamento. Segundo rumores, o corpo teria sido jogado em um rio.

No final de agosto, especialistas do Departamento de Arqueologia da Universidade de Leicester iniciaram as buscas no subsolo de um estacionamento do centro da cidade. Em setembro, eles encontraram um esqueleto bem conservado de um homem que apresentava indícios surpreendentes: uma coluna vertebral deformada e ferimentos que poderiam ser similares às agressões letais infligidas ao rei no campo de batalha. O “mistério do rei do estacionamento”, então, atraiu a comunidade científica para o local.

Reputação – William Shakespeare imortalizou Ricardo III como um tirano corcunda que matou os dois sobrinhos que impediam seu acesso ao trono britânico, entrando assim para a história com uma péssima reputação. Os cientistas esperam que a descoberta possibilite uma nova visão sobre seus dois anos de reinado.

(Com agência France-Presse)