Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Espanha promete vacinar quase metade da população contra Covid até junho

Campanha de imunização deve começar em janeiro e país já tem doses de vacina suficientes para cobrir todos os 47 milhões de habitantes

Por Da Redação 4 dez 2020, 16h07

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou nesta sexta-feira, 4, que entre 15 e 20 milhões de espanhóis serão vacinados contra o novo coronavírus até “maio ou junho”. O país de 47 milhões de habitantes planeja iniciar a campanha de imunização em janeiro.

“Nossa previsão é que 2,5 milhões de pessoas sejam vacinadas na primeira etapa”, disse Sánchez. Essa fase da imunização deve ocupar janeiro e fevereiro.

Na primeira etapa, serão vacinados os moradores de casas de repouso para idosos, os profissionais de saúde que trabalham nesses locais, profissionais de saúde da linha de frente no combate à Covid e seus dependentes.

Já na segunda etapa, com a disponibilidade progressiva das doses, o governo espera que até 20 milhões de espanhóis sejam vacinados até, no máximo, junho. Os grupos demográficos envolvidos nesta segunda fase não foram especificados.

Segundo Sánchez, a terceira etapa deve começar em junho ou julho, quando o número de doses e vacinas disponíveis “já será extenso e muito amplo, permitindo cobrir toda a população”. O governo não especificou quando todos os espanhóis terão recebido a vacina, que não será obrigatória.

Continua após a publicidade

Até o momento, o governo anunciou ter autorizado a compra de mais de 100 milhões de doses de vacinas, no âmbito de contratos da União Europeia com vários laboratórios.

Em dezembro, a Espanha encomendou 20,9 milhões de doses da candidata da Johnson & Johnson; 8,3 milhões da Moderna; e 23,5 milhões da CureVac. Sánchez já havia anunciado a compra antecipada de outras duas vacinas: 31,6 milhões da candidata da AstraZeneca, e 20,9 milhões da Pfizer-BioNTech.

Quase todas as vacinas requerem duas doses, o que significa que os 47 milhões de espanhóis já estariam cobertos. A Espanha pretende dedicar as doses restantes a “missões de solidariedade” com outros países, segundo o governo.

Um dos países europeus mais afetados pela pandemia, a Espanha acumula quase 1,7 milhão de casos registrados, incluindo mais de 46.000 mortes. A situação melhorou no último mês: a taxa de infecção caiu pela metade, para uma média de 240 casos a cada 100 mil habitantes em 14 dias, conforme o último balanço do Ministério da Saúde.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade