Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Erdogan: “Não tenho a palavra ‘idiota’ escrita na testa”

Irritado com pressão para abrir fronteira, presidente turco ameaçou enviar refugiados sírios à Europa

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou enviar à Europa os milhões de imigrantes que já estão em seu país. Irritado com a pressão internacional para abrir a fronteira turca e permitir a entrada de refugiados sírios, o líder turco subiu o tom em um discurso para empresários nesta quinta-feira, na capital Ancara. “Não tenho a palavra ‘idiota’ escrita na testa. Seremos pacientes, mas faremos o que for necessário. Não pensem que os aviões e os ônibus estão ali sem utilidade”, disse.

Erdogan também confirmou as negociações reveladas pela imprensa com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, em que ameaçou enviar os refugiados à Europa se não recebesse uma soma suficiente para mantê-los em solo turco.

“Estou orgulhoso de ter dito isso. Defendemos os direitos da Turquia e dos refugiados (…) Dissemos (aos europeus): ‘Sentimos muito, abriremos as portas e diremos adeus aos imigrantes'”, explicou Erdogan.

A conversa, que ocorreu em novembro passado durante o G20 de Antalya (sul da Turquia), foi citada pelo site grego Euro2day, que se referiu a “ameaças brutais” contra os europeus por parte do homem forte da Turquia.

Leia mais:

MSF adverte que novos fluxos de deslocados na Síria serão insustentáveis

Cerca de 15.000 refugiados estão bloqueados na fronteira da Síria com a Turquia

Quantia módica – Segundo o Euro2day, Erdogan considera “módica” a soma de 3 bilhões de euros proposta pela União Europeia (UE), quando seu país gastou 8 bilhões de euros apenas em campos de refugiados. A UE aprovou em 3 de fevereiro as modalidades de financiamento de um fundo de 3 bilhões destinado aos 2,7 milhões de refugiados sírios que vivem na Turquia, que foi prometido em troca de que Ancara freie o fluxo migratório à Europa.

Desde 1º de fevereiro o regime do ditador sírio Bashar Assad, apoiado pela Rússia, lançou uma violenta ofensiva contra os rebeldes da província de Aleppo, no norte da Síria, que deixou 500 mortos e provocou o êxodo de 30.000 pessoas à fronteira turca, que permanece fechada. Com o apoio de diversas ONGs, a Turquia preferiu ajudar os refugiados em território sírio, enviando ajuda humanitária e permitindo a entrada apenas de pessoas doentes.

“Nós nos preparamos para o pior”, reiterou nesta quinta-feira o presidente turco, que disse que até 600.000 civis podem chegar às portas da Turquia se a ofensiva contra Aleppo não cessar. Erdogan também acusou a Rússia, país aliado do regime de Assad e com o qual a Turquia mantém atualmente uma séria crise diplomática, de ser o primeiro responsável pela atual situação.

Leia mais:

Otan enviará missão naval ao Mar Egeu para combater o tráfico humano e resgatar refugiados

Otan – Nesta quinta-feira, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, anunciou que uma missão naval aliada iria se dirigir ao Mar Egeu para “ajudar a lutar contra o tráfico humano” de imigrantes. A iniciativa foi solicitada por Grécia e Turquia e constitui uma mudança inédita nas missões da Otan, criada como uma organização militar de defesa. Até agora, a Otan havia se recusado a se envolver diretamente na pior crise migratória na Europa desde 1945.

(Com AFP)