Clique e assine a partir de 8,90/mês

Endereços de ministro da Saúde da França são revistados pela polícia

São nove denúncias que acusam governo de negligência na resposta contra a pandemia de Covid-19

Por Da Redação - 15 out 2020, 17h09

A polícia francesa realizou uma operação nesta quinta-feira, 15, na residência e nos escritórios do ministro da Saúde, Olivier Véran, no âmbito de uma investigação sobre a gestão da pandemia de coronavírus, anunciou o ministério em um comunicado.

A polícia também compareceu à residência do diretor-geral de Saúde, Jérôme Salomon, membro do gabinete do ex-primeiro-ministro Edouard Philippe, responsável pelo governo durante os primeiros casos do novo coronavírus no país, da ex-ministra da Saúde Agnes Buzyn e da ex-porta-voz do governo Sibeth Ndiaye.

A investigação teve início após nove denúncias, de um total de 90, terem sido acatadas pelas autoridades contra os ministros. A justificativa é a resposta do governo contra a pandemia, em especial a demora para adotar medidas para conter a propagação do vírus, que já deixou mais de 33.000 mortos no país.

A Corte de Justiça da República (CJR), que é o único órgão que pode julgar atos cometidos por membros do governo no desempenho de suas funções, considerou “necessário realizar uma investigação para avaliar as denúncias”.

As audiências dos denunciantes, incluindo representantes de um grupo de médicos, começaram em setembro. Eles criticaram, entre outras coisas, a “inconsistência das medidas” adotadas e a “falta de aplicação das recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde)”.

Continua após a publicidade
Publicidade