Clique e assine a partir de 8,90/mês

Com aumento de casos de Covid, Reino Unido impõe novas restrições sociais

Segundo ministro da Saúde, Matt Hancock, situação é grave e infecções Londres estão duplicando a cada 10 dias, subindo nível de alerta para capital

Por Da Redação - 15 out 2020, 12h42

O governo britânico anunciou nesta quinta-feira, 15, a imposição de restrições sociais em Londres, Essex e Elmbridge por conta do aumento de casos de Covid-19. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Matt Hancock, em declaração à Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento.

O ministro disse que a situação é grave, e as infecções Londres estão duplicando a cada 10 dias, forçando a cidade a ser colocada no nível de alerta de risco 2 – em uma escala máxima de 3 – na qual estão proibidas reuniões de pessoas em espaço fechado. Encontros de até seis pessoas ao ar livre ainda estão permitidos e, sob a regra, bares e restaurantes podem funcionar das 10h00 às 17h.

O governo considera que o estabelecimento de restrições a nível local é a melhor resposta para enfrentar o problema e que é necessário agir para evitar mais mortes, justificou o ministro.

A partir de meia-noite de sexta-feira, a capital e outras sete zonas da Inglaterra, que incluem quase 11 milhões de pessoas, passarão do atual nível de alerta “médio” para “alto”. O mecanismo de alerta envolve apenas a Inglaterra, pois as outras nações que integram o Reino Unido – Escócia, Gales e Irlanda do Norte – estabelecem as próprias políticas contra o coronavírus.

“Um atraso na tomada de medidas levará a mais mortes por Covid-19 e a um maior impacto econômico”, disse Hancock, alertando que “as coisas vão piorar antes de melhorarem”.

“Na Europa, os casos de positivos aumentaram 40% em relação à semana passada, e na Itália, Bélgica e Holanda, duplicaram nos últimos 15 dias. E aqui, infelizmente, estamos assistindo o número mais alto mortes desde o início de junho”, disse Hancock.

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse nesta quinta que “não há uma opção simples” para a cidade e considerou as novas medidas necessárias para proteger a população, embora tenha pedido ao governo central apoio financeiro para enfrentar o impacto das restrições.

“Em breve vamos alcançar a média de 100 casos para cada 100.000 londrinos, com um número significativo de distritos que já superaram esta barreira”, disse Khan. “As internações nos hospitais aumentaram, mais pacientes vão para as para Unidades de Terapia Intensiva e, infelizmente, o número de londrinos que morrem a cada dia está aumentando novamente”.

Na quarta-feira 14, o Reino Unido registrou 19.724 novos casos e 137 mortes por Covid-19, elevando o número total de vítimas desde o início da pandemia para 43.155.

Continua após a publicidade
Publicidade