Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Em resposta a Trump, União Europeia impõe tarifas a produtos americanos

Bloco revida medidas protecionistas adotadas pelo governo americano sobre a importação de aço e alumínio europeus

Por Da Redação - Atualizado em 20 jun 2018, 18h26 - Publicado em 20 jun 2018, 15h39

A União Europeia (UE) impôs nesta quarta-feira vinte tarifas no valor de 2,8 bilhões de euros (12 bilhões de reais) a uma lista de produtos procedentes dos Estados Unidos em resposta à decisão do governo de Donald Trump de sobretaxar as importações de alumínio e aço da Europa.

“Não gostaríamos de estar nesta posição. No entanto, a decisão unilateral e injustificada dos Estados Unidos de impor tarifas ao aço e ao alumínio da Europa significa que não temos outra opção”, anunciou a comissária europeia de Comércio, a sueca Cecilia Malmström, em comunicado.

A lista de importações afetadas foi notificada à Organização Mundial do Comércio (OMC) em 18 de maio e inclui produtos americanos como o milho doce, o suco de laranja e o mirtilo. Segundo as normas da organização, a União Europeia deveria esperar trinta dias após a notificação para adotar as medidas oficialmente. Esse prazo termina hoje.

A regulação que implementa essas medidas será publicada amanhã e as tarifas entrarão em vigor à meia-noite de quinta-feira para sexta-feira, no horário de Bruxelas.

Publicidade

Os comissários europeus deram sinal verde à lista em 6 de junho e os Estados-membros expressaram seu “apoio unânime” a essa reação, explicou a Comissão Europeia, o órgão executivo do bloco.

As medidas impostas hoje estão voltadas para importações avaliadas em 2,8 bilhões de euros, o máximo que a União Europeia pode impor neste momento apesar do total de aço e alumínio europeus afetados pelos encargos americanos chegar a 6,4 bilhões de euros.

Os 3,6 bilhões de euros restantes poderão “ser reequilibrados” no futuro, após uma decisão favorável no sistema de solução de controvérsias da OMC ou quando se passarem três anos desde a primeira imposição de tarifas por parte dos Estados Unidos.

Todos os produtos incluídos na lista adotada hoje estarão sujeitos a tarifas adicionais de 25%, salvo os baralhos de cartas, que terão 10%, enquanto os produtos da segunda relação terão encargos de 10% a 50%, dependendo do produto.

Publicidade

“As regras do comércio internacional, que desenvolvemos durante anos lado a lado como nossos sócios americanos, não podem ser violadas sem uma resposta de nossa parte. A nossa reação é comedida, proporcional e condizente com as normas da OMC”, detalhou Malmström, que acrescentou que as tarifas adicionais serão canceladas quando e se os Estados Unidos voltarem atrás.

As medidas de reequilíbrio são uma das vias de ação com as quais a União Europeia adotará represálias em relação às tarifas americanas ao aço (25%) e ao alumínio (10%), depois de denunciar o caso na OMC em 1º de junho.

A Comissão também monitora os fluxos comerciais de aço e alumínio para detectar um potencial aumento repentino na entrada desses produtos à UE devido ao fechamento parcial do mercado americano, uma medida que já causou a abertura de uma investigação no caso do aço.

Donald Trump decidiu retirar o apoio americano ao comunicado final da cúpula do G7 no início de junho, diante da reação das potências integrantes do grupo às medidas protecionistas que o presidente impôs nos últimos meses. A medida minou o que já parecia ser um frágil consenso sobre a disputa comercial entre os Estados Unidos e seus principais aliados.

Publicidade

(Com EFE)

Publicidade