Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Em ‘empréstimo’, EUA enviarão doses de vacina a México e Canadá

Plano, ainda não finalizado, prevê envio de 2,5 milhões de doses ao México e 1,5 milhão ao Canadá, segundo Casa Branca

Por Da Redação Atualizado em 18 mar 2021, 18h55 - Publicado em 18 mar 2021, 18h45

O governo dos Estados Unidos planeja enviar 4 milhões de doses da vacina da AstraZeneca aos vizinhos México e Canadá como empréstimo aos dois países, confirmou a Casa Branca nesta quinta-feira, 18. O imunizante ainda não recebeu autorização para uso emergencial em solo americano e o governo de Joe Biden vinha sendo pressionado a distribuir parte das 30 milhões de unidades em seu estoque.

O ato também representa um grande passo na diplomacia da vacina em um momento onde o governo americano pressiona o México a respeito do grande número de imigrantes que chegam da fronteira com o país.

Segundo Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca, os Estados Unidos vão enviar 2,5 milhões de doses ao México e 1,5 milhão ao Canadá, destacando que o acordo ainda não foi finalizado.

Os milhões de imunizantes, produtos da parceria da AstraZeneca com a Universidade de Oxford, estão estacionados nas fábricas americanas, uma vez que ainda não foi aprovado seu uso no país. De acordo com Psaki, as doses não serão doadas, mas sim emprestadas para serem “devolvidas” futuramente. 

O anúncio ocorre em um momento crítico nas negociações com os mexicanos. Desde que assumiu a Presidência, Joe Biden tem feito grandes esforços para acabar com a política de imigração do ex-presidente Donald Trump, como a construção de um muro fronteiriço. As mudanças, porém, anulam um acordo muito importante entre o México e o ex-presidente americano: a ajuda para conter a onda de imigrantes. Em vídeo chamada realizada ainda neste mês, Biden recorreu ao presidente Andrés Manuel López Obrador para auxiliá-lo na situação. 

Em coletiva realizada nesta quinta-feira, 18, Jen Psaki disse que as discussões a respeito das vacinas e das fronteiras não têm relação, sendo apenas uma grande coincidência. Ao ser questionada por um repórter se existiam condições para o empréstimo, a porta-voz afirmou que há “várias conversas diplomáticas repletas de camadas em jogo”. 

Continua após a publicidade

“Raramente há um único problema sendo discutido por vez com outros países. E certamente não é o caso com o México nem com nenhum outro país do mundo. Eu não interpretaria isso mais do que a nossa capacidade de prover as doses da vacina”, completou.

Autoridades mexicanas afirmaram que os esforços para a aquisição das doses não têm relação alguma com as negociações a respeito da migração. “São duas questões diferentes”, disse Roberto Velasco, diretor-geral para a região da América do Norte do Ministério das Relações Exteriores mexicano.

Diversos países europeus suspenderam o uso do imunizante da AstraZeneca nesta semana devido a um pequeno número de pessoas que desenvolveu trombose após a aplicação. Nesta quinta-feira, porém, a agência reguladora da Europa declarou que o imunizante é seguro

É interesse mútuo diminuir o fluxo de imigração entre os países. O México concordou recentemente em aumentar a presença policial na fronteira do sul do país para conter a onda de pessoas que vem da América Central, ao mesmo tempo que esforços recentes estão sendo feitos para frear o fluxo também na fronteira do norte, de acordo com um oficial mexicano ao jornal The New York Times O problema é que isto acontece ao mesmo tempo que o governo Biden sinaliza uma política mais branca para receber imigrantes.

No que diz respeito ao Canadá, muitos opositores do primeiro-ministro Justin Trudeau o pressionaram para que uma política fosse realizada para a obtenção das doses com os Estados Unidos. Muitos canadenses expressaram consternação com o fato de os americanos não terem fornecido nenhuma dose até agora. O país não tem produção local de nenhuma vacina.  

Até esta quinta-feira, todas as doses que chegaram ao Canadá vieram da Europa e da Índia, ao mesmo tempo que seu processo de vacinação caminha a passos lentos. Ao todo, o país soma 921.721 casos do novo coronavírus, incluindo 22.581 mortes.  

O México é o terceiro país com maior número de mortes causados pela doença. Com um processo de vacinação lento, o presidente López Obrador precisa dar uma resposta para a sua população, ainda mais com as eleições cruciais se aproximando em junho. O país já registrou mais de 2,1 milhões de casos, incluindo 195.908 mortes. 

Continua após a publicidade
Publicidade