Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Em despedida, Bento XVI promete obediência a sucessor

No último dia de seu pontificado, papa participa, no Vaticano, de ato privado com cardeais, que o receberam sob aplausos. Sua última aparição como pontífice está prevista para 17h30 (13h30 em Brasília)

Por Da Redação 28 fev 2013, 08h07

Em seu último dia de pontificado após a renúncia, o papa Bento XVI afirmou nesta quinta-feira, pouco antes de começar a se despedir dos cardeais da Igreja Católica na Sala Clementina do Vaticano, que oferece, desde já, “obediência e reverência incondicionais” ao seu sucessor. Os religiosos da Cúria vieram de Roma para participar do conclave que escolherá o novo papa.

Leia também:

Adeus do papa é dia triste para fiéis no Vaticano

Em último sermão, Bento XVI relata ‘momentos difíceis’

“Que o Colégio dos Cardeais seja como uma orquestra”, afirmou, ainda, o papa, após ressaltar que a diversidade deve conduzir à harmonia, em referência ao conclave. Os cerca de 100 cardeais que participam da cerimônia de despedida, de caráter privado, receberam o papa sob fortes aplausos. Em discurso, o decano do Colégio Cardinalício, Angelo Sodano, expressou sua gratidão a Bento XVI por seus oito anos de pontificado e celebrou o exemplo dado por ele nesse período.

Leia também:

Leia também: Bento XVI será chamado de ‘papa emérito’

Continua após a publicidade

Residência de verão – Na tarde desta quinta-feira, após o almoço, Bento XVI abandonará o Palácio Pontifício do Vaticano e se transferirá para a vila Pontifícia de Castel Gandolfo, a 30 quilômetros ao sul de Roma. Assim que chegar à residência de verão do Vaticano, Bento XVI deve cumprimentar o público da varanda da fachada principal. Depois, se instalará nos dois andares que compõem o apartamento papal, que inclui o dormitório do pontífice, os quartos dos secretários e das quatro laicas consagradas que cuidam dele e que vão acompanhá-lo nesta nova etapa, além de uma capela privativa.

Como manda a tradição, Bento XVI deixará seus sapatos vermelhos, que evocam o sangue dos mártires, para substituí-los por outros de cor marrom. O anel de pescador, símbolo do selo pontifício, será inutilizado pelo cardeal camerlengo, o italiano Tarcisio Bertone, aquele que assumirá a Igreja interinamente. E os aposentos papais do Vaticano permanecerão trancados até que seu sucessor seja escolhido.

Bento XVI ficará em Castel Gandolfo até que terminem as obras de restauração do convento de freiras existente dentro do Vaticano, onde viverá defitinitivamente.

Galeria: Conheça o novo refúgio de Bento XVI

Adeus – Após a despedida dos cardeais, Bento XVI aparecerá pela última vez como papa aos olhos do mundo às 17h30 de hoje (13h30 em Brasília), na varanda de sua residência provisória. Ao anoitecer, milhares de fiéis estarão presentes no local, carregando tochas, para dar o último adeus ao pontífice. Depois, às 20h (16h em Brasília), um destacamento da Guarda Suíça Pontifícia, responsável pela segurança do papa, vai se retirar da entrada principal da residência, fechando a porta e simbolizando o fim de seu serviço.

No Vaticano, a Guarda Suíça continuará a postos, mesmo durante o período de Sé Vacante. O horário marca o encerramento oficial do pontificado de Bento XVI, que teve uma duração total de sete anos, dez meses e nove dias. A partir desse momento, a sede apostólica passará a ser governada pelo Colégio dos Cardeais.

A partir de sexta-feira, o cardeal Angelo Sodano enviará a seus homólogos uma carta de convocação para as reuniões gerais que precedem o conclave responsável por eleger o próximo papa. Nesses encontros, serão analisadas as necessidades da Igreja e aparecerão os favoritos ao cargo. Espera-se que o próximo pontífice celebre a Semana Santa.

(Com agência Efe)

Continua após a publicidade
Publicidade