Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Egito tem novos confrontos após condenação de envolvidos em tumulto

Justiça condenou 21 envolvidos em conflito após jogo de futebol no estádio de Port Said, em fevereiro do ano passado. Manifestantes tentaram invadir prisão

Por Da Redação 26 jan 2013, 09h55

Pelo menos 30 pessoas morreram em protestos na cidade egípcia de Port Said depois que um tribunal condenou à morte 21 envolvidos em um massacre após um jogo de futebol. Em fevereiro do ano passado, 74 pessoas morreram e 254 ficaram feridas nos enfrentamentos entre torcedores do clube local, Al Masry, e do Al Ahly, do Cairo, o mais popular do país.

Apoiadores dos réus tentaram invadir a prisão onde os condenados estão mantidos – dois policiais responsáveis pela segurança na prisão estão entre os mortos. Carros foram queimados nas ruas da cidade e prédios públicos foram atacados assim que o tribunal anunciou a sentença. O Exército enviou tropas para Port Said, para tentar restaurar a ordem, informou Ahmed Wasfi, general do Estado-Maior, à agência oficial ‘Mena’.

Os confrontos deste sábado em Port Said se seguem aos conflitos verificados em outras cidades do país, nesta sexta, dia do segundo aniversário da revolta que derrubou o ditador Hosni Mubarak. Pelo menos sete pessoas morreram nas manifestações contra o governo de Muhamed Mursi.

O presidente do tribunal ordenou a transferência dos processos dos 21 acusados para avaliação da máxima autoridade religiosa do país, que ainda deverá ratificar a pena imposta aos réus. Outros cinquenta acusados vão continuar presos até a sentença definitiva.

Leia também:

Confronto entre torcidas rivais deixa 39 feridos no Egito

Egito reiniciará campeonato de futebol em fevereiro

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade