Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Egito: comunicado de Israel por morte de policiais é insuficiente (Mena)

Por Khaled Desouki 20 ago 2011, 20h57

O governo egípcio considerou neste domingo insuficiente o pedido de desculpas feito por Israel depois da morte de cinco policiais próximo à fronteira entre os dois países, e evitou mencionar a convocação para consultas de seu embaixador em Tel Aviv.

“A declaração israelense foi positiva em sua superfície”, mas não está à altura “da magnitude do incidente e do descontentamento egípcio com as ações israelenses”, segundo um comunicado do governo divulgado pela agência oficial Mena.

O governo egípcio insistiu em um calendário para uma investigação conjunta sobre o incidente proposto a Israel, segundo a Mena.

Na manhã deste sábado, a televisão egípcia havia anunciado que o Cairo decidira convocar para consultas seu embaixador em Israel para protestar pela morte de cinco policiais na fronteira.

“O Egito decidiu convocar seu embaixador em Israel até a apresentação de desculpas oficiais”, havia indicado a televisão estatal.

Oficiais egípcios afirmaram, no entanto, que a convocação para consultas ainda era tema de discussão e que nenhuma decisão foi tomada até agora.

O Estado hebreu anunciou que não tinha sido informado oficialmente sobre a convocação para consultas do embaixador egípcio em Israel.

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, “lamentou” este sábado a morte de policiais egípcios e propôs “examinar” as circunstâncias do incidente com o Exército egípcio.

Cinco policiais egípcios morreram na quinta-feira em uma troca de tiros entre as forças israelenses e homens armados depois do triplo ataque próximo a Eilat, na fronteira com o Egito, durante o qual morreram oito israelenses.

Continua após a publicidade
Publicidade